ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 31º
Marca que começou na sala de casa faz história em MS em apenas 2 anos

Conteúdo Patrocinado

Marca que começou na sala de casa faz história em MS em apenas 2 anos

Fehu Joias completa 2 anos em plena expansão e é a prova de que não há mercado saturado quando se tem vontade

Por Post Patrocinado | 03/05/2021 08:00
Com quase 100 consultoras, a Fehu Joias chegou a muitas cidades do estado (Foto: Divulgação)
Com quase 100 consultoras, a Fehu Joias chegou a muitas cidades do estado (Foto: Divulgação)

Hoje é na sala privativa do próprio escritório que Michelle Pinho Echeverria, de 39 anos, relembra a trajetória caminhada nos últimos dois anos. De começar uma marca do zero, sem conhecimento no ramo e na sala de casa, e ver crescer seu produto em todo o Estado. Criadora da grife Fehu Joias, tem orgulho de ser sul-mato-grossense, ela compartilha o que viveu e aprendeu ao seguir o seu "sim" e não dar ouvidos aos "nãos".

Sempre junto a família na conquista dos sonhos. Primeiro local próprio (Foto: Divulgação)
Sempre junto a família na conquista dos sonhos. Primeiro local próprio (Foto: Divulgação)

"As pessoas me perguntam: 'você tem noção de tudo o que fez e como está o seu negócio em apenas dois anos?' Eu sou muito exigente nos meus objetivos, e sim, é um pequeno tempo para uma grande história", diz.

Com quase 100 consultoras, a Fehu Joias chegou a muitas cidades do estado, como Dourados, Camapuã, Paraíso das Águas, São Gabriel do Oeste, Rio negro, Corguinho e Bodoquena, conquistando clientes e consultoras próprias que encontraram encanto e renda na Fehu Joias.

Familiares que ajudaram, em casa, no início (Foto: Divulgação)
Familiares que ajudaram, em casa, no início (Foto: Divulgação)

"É muita dedicação em meio a 'concorrência', apesar de que hoje eu não acho que exista concorrência quando se tem o desejo interno. Acredito muito nisso", enfatiza.

No último ano, a Fehu Joias ainda enfrentou de cabeça erguida uma pandemia que afetou emocionalmente e também economicamente a todos. "Na pandemia a gente ouviu de muitas pessoas: 'nossa, mas você vai vender semijoias? Tem tanto no mercado já. Mas não é o negócio dela o problema. O que precisamos é tirar essa banalização de que tudo já tem e por isso a gente não consegue fazer nada", compara.

A Fehu começou oferecendo peças de qualidade, com banho de ouro e garantia eterna, que atendessem mulheres de todos os estilos e que também fosse acessível. Fruto da determinação de Michelle de empreender, ela que é enfermeira de formação e mãe de duas crianças, deixou os 13 anos de dedicação à área da saúde e emprego fixo para ter o próprio negócio.

"Quando eu tive a ideia não era nem pelo dinheiro, era o prazer em trabalhar, porque eu gosto. Hoje essa é a minha renda principal, eu vivo disso", frisa.

Claro que nem tudo é um mar de rosas no empreendedorismo. Apesar da flexilidade de horários que ter o próprio negócio propicia, há tarefas que podem ser reagendadas, mas ao fim do dia, precisam ter sido feitas, o que leva o expediente a ir muito além das 8h de trabalho. "Foi com dedicação, horas a mais, levando não, lidando com desonestidade", exemplifica a fundadora da marca.

Encontro da equipe de consultoras (Foto: Divulgação)
Encontro da equipe de consultoras (Foto: Divulgação)

Dois anos foi o tempo de sair da sala de casa, passar por mais três endereços até chegar ao showroom montado hoje na Avenida Fernando Corrêa da Costa. Além da estrutura física, a Fehu alcançou clientes até fora de Mato Grosso do Sul pelo site de vendas. Na parte das peças, a grife também apresenta aos clientes uma nova coleção a cada 35 dias sempre inspirada em mulheres reais.

"Crescemos com carinho, amor e principalmente por acreditar em pessoas, por partilhar com quem tem a visão de crescer juntos, esses são os nossos diferenciais. Trabalhar com um TIME de pessoas que valorizam cada ganho financeiro faz de nós melhores a cada dia. Hoje eu consigo manter uma equipe, porque não existe mercado saturado, os obstáculos são pessoais, nós que colocamos eles lá.", avalia.

Michelle teve todo apoio da família para empreender, mas sabe que muitas vezes os próprios familiares colocam barreiras, por preocupação, e acabam minando os sonhos de muitas pessoas.

Ansiosa por natureza, a fundadora da Fehu Joias diz que precisou aprender a lidar com o seu jeito de ser e acolher os sentimentos, sejam eles quais forem. "Se eu já quis desistir? Muitas vezes. A diferença é que eu não deixo isso ser maior que minha força de lutar pelos meus objetivos", pontua.

Hoje, se pudesse voltar dois anos atrás e dizer algo àquela Michelle que trabalhava na sala de casa, a empresária diz: "não aceite um não, escolha o seu sim. Sempre vai ter o não das outras pessoas, mas é o seu sim que importa", finaliza.

Para fazer parte do TimeFehu Joias, clique aqui. Acesse agora mesmo e faça parte do #mundofehu: https://www.mundofehu.com.br/. A Fehu Joias está nas redes sociais, acompanhe pelo Instagram e Facebook. O showroom fica na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1200 - veja como chegar. Chame agora mesmo no WhatsApp (67) 99264-0506 (clique aqui).

A fundadora da Fehu Joias diz que precisou aprender a lidar com o seu jeito de ser e acolher os sentimentos, sejam eles quais forem. (Foto: Divulgação)
A fundadora da Fehu Joias diz que precisou aprender a lidar com o seu jeito de ser e acolher os sentimentos, sejam eles quais forem. (Foto: Divulgação)


Nos siga no Google Notícias