A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

14/09/2018 19:21

ANA suspende novas outorgas para hidrelétricas no rio Paraguai

Luciano Nascimento, da Agência Brasil
Rio Paraguai em épocas de cheia. (Foto: Carlos Padovani / Embrapa/Arquivo)Rio Paraguai em épocas de cheia. (Foto: Carlos Padovani / Embrapa/Arquivo)

A ANA (Agência Nacional de Águas)  informou hoje (14) que vai suspender a outorga de novos empreendimentos hidrelétricos na região da bacia hidrográfica do Rio Paraguai, onde fica o Pantanal. A medida vale tanto para UHE (Usinas Hidrelétricas) quanto para PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas)  e tem por objetivo evitar que futuros empreendimentos prejudiquem outros usos dos rios da região, principalmente a pesca e o turismo.

A suspensão vale até 31 de maio de 2020 e atingirá os empreendimentos hidrelétricos que não estavam em operação comercial até 18 de julho deste ano. A ANA aguarda a conclusão de estudo para verificar impactos dos empreendimentos sobre os recursos hídricos. Atualmente, segundo a agência, existem 144 aproveitamentos hidrelétricos em estudo na Região Hidrográfica do Paraguai, a maioria para construção de pequenas centrais hidrelétricas.

“A suspensão se estenderá pelo menos até a conclusão de estudo iniciado em novembro de 2016 pela ANA para investigar os efeitos socioeconômicos e ambientais da implantação desses empreendimentos sobre os demais usos da água e sobre os próprios recursos hídricos, como comprometimento da qualidade das águas ou alteração do regime hidrológico [chuvas]", informou a agência reguladora.

Segundo a ANA, essa iniciativa inicia a implementação de ações regulatórias identificadas como necessárias no Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai (PRH Paraguai), aprovado em março pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH).

O plano indentificou que esses empreendimentos podem interferir na estabilidade do ecossistema pantaneiro e na garantia dos usos múltiplos praticados na região.

Os pedidos de outorga afetados pela restrição são aqueles para a instalação de empreendimentos hidrelétricos em rios de domínio da União, ou seja, que atravessam mais de um estado ou fazem fronteiras, portanto, regulados pela ANA.

Dados do plano, mostram que o potencial hidrelétrico da região é explorado atualmente por sete hidrelétricas, 29 PCHs e 11 centrais geradoras hidrelétricas, totalizando uma capacidade instalada de 1.111 megawatts (MW). Segundo a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), a região possui um potencial adicional de geração de 1.172MW.

A agência disse ainda que vai revisar os procedimentos e metodologias de análise de outorgas para aproveitamentos hidrelétricos tão logo os resultados consolidados dos estudos estejam disponíveis para sub-bacias hidrográficas específicas. Disse ainda que vai "incorporar tais resultados junto aos procedimentos e critérios de outorga”.

BC mantém juros básicos em 6,5% ao ano pela quarta vez seguida
Pela quarta vez seguida, o BC (Banco Central) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Copom (Comitê de Política Monetária) mante...
Dólar opera em queda e fecha cotado a R$ 4,12 para venda
A cotação do dólar fechou o pregão desta quarta-feira (19) em baixa de 0,43%, cotada a R$ 4,1242 para venda. O Banco Central manteve a política tradi...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions