A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

20/05/2015 11:45

Após protesto, banco se propõe a negociar com sindicato e paralisação é suspensa

Liana Feitosa
Sindicato paralisou seis agências em Campo Grande por causa de demissões. (Foto: Divulgação/Assessoria)Sindicato paralisou seis agências em Campo Grande por causa de demissões. (Foto: Divulgação/Assessoria)

Depois de fechar seis agências do banco Bradesco nesta terça-feira (19), representantes do Sindicato dos Bancários de Campo Grande conseguiram chamar a atenção da instituição financeira e negociam agendamento de reunião para a próxima semana.

Segundo a secretária de imprensa e comunicação do sindicato, Neide Maria Rodrigues, o banco se mostrou aberto. "Abrimos diálogo com o banco e estamos agendando para a semana que vem uma reunião com representantes da matriz e do setor de recursos humanos aqui em Campo Grande", afirma.

A data só não foi definida ainda devido a um encontro nacional promovido pelo banco em São Paulo nos próximos dias. "Estamos nos preparando para que seja na segunda ou terça, mas precisamos definir essa questão de agenda. Em todo caso, o banco sinalizou que está à disposição, o que já é um ponto favorável", detalha Neide.

"Queremos uma explicação, que eles expliquem porque não está havendo reposição dos funcionários demitidos, por exemplo", amplia.

Clientes insatisfeitos - Segundo o sindicato, a falta de funcionários gerada pelas recentes demissões gera insatisfação nos clientes, que acabam tendo que enfrentar filas e serviço demorado. Além disso, também geram medo nos funcionários que, além de sobrecarregados, ainda precisam lidar com a insegurança de possível demissão.

"As demissões têm ocorrido sem justificativas, isso gera insegurança. Mesmo cumprindo as metas, o funcionário não sabe se amanhã ainda terá o emprego", pontua a representante. "Então queremos que o banco nos ouça e apresente solução, inclusive para a questão da falta de segurança em algumas agências", finaliza. Algumas unidades estão sem câmeras e outras não possuem seguranças.

Ontem, o protesto fechou as agências do Bradesco da Avenida Costa e Silva; das Moreninhas; da Avenida Mato Grosso; da Rua 14 de julho; a normal e a Prime da Rua Marechal Cândido Mariano Rondon.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions