A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

07/01/2013 16:42

Campo Grande tem a 5ª cesta básica mais barata entre as capitais

Nícholas Vasconcelos
Pesquisa apontou que cesta básica custa R$ 242,94 em dezembro. (Foto: Rodrigo Pazinato)Pesquisa apontou que cesta básica custa R$ 242,94 em dezembro. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Campo Grande tem a 5ª cesta básica mais barata entre as 18 capitais brasileiras pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Em dezembro, para comprar os 13 alimentos básicos que compõem a cesta individual foi preciso desembolsar R$ 242,94. Considerando a cesta básica familiar, para quatro pessoas, o valor pesquisado pelo Dieese chegou em dezembro a R$ 728,82 durante o mês de dezembro.

É um monte superior ao salário mínimo, de R$ 622,00. O Dieese, que divulgou pela primeira vez o valor da cesta básica em Campo Grande, afirma que o salário mínimo necessário, para dar conta do que prevê a Constituição, teria de ser de R$ 2.561,47. Esse valor, conforme a pesquisa, seria suficiente para suprir as necessidades básicas do trabalhador e de sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

O valor de R$ 242,94 para os alimentos básicos para uma pessoa registrou alta de 1,53% em relação a novembro, mês que ocorreu a primeira coleta de preços.

O resultado do primeiro levantamento em Campo Grande foi apresentado hoje pelo escritório regional da entidade.
Esta e outras pesquisas servirão de subsidio para a negociação salarial entre trabalhadores e patrões na Capital e Mato Grosso do Sul.

A supervisora técnica do departamento, Andréia Ferreira, confirmou que a intenção do Departamento é subsidiar os sindicatos associados com dados e estatísticas necessários para as negociações salariais com a classe patronal.
Segundo o vice-presidente do SECCG (Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande), Nelson Benitez, a chegada do Departamento ao Estado vai ajudar na elaboração de informações fundamentais para as negociações salariais com o patronato.

“Nossas negociações para o fechamento de convenções coletivas de trabalho terão maior embasamento, com dados reais da realidade econômica de nossa cidade e do Estado, para que tenhamos mais força e alicerce na hora de negociar com a classe patronal”, afirmou.

Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


onde isso? com certeza quem fez essa pesquisa esta fora da realidade de campo grande.
 
jorge ramos em 08/01/2013 07:19:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions