A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

06/04/2011 11:23

Conselho de consumidores pedirá reconsideração de reajuste da energia à Aneel

Angela Kempfer

Em reunião na manhã de hoje, entidades que integram a Conselho de Consumidores da Enersul decidiram que vão acionar a Aneel e pedir a reconsideração sobre o índice de reajuste da tarifa de energia elétrica em Mato Grosso do Sul.

Segundo o Concen, a reavaliação é prevista no processo de reajuste anual das concessionárias. A ideia é apresentar novos cálculos que comprovem a possibilidade de reduzir a tabela contábil apresentada pela Enersul como justificativa para o aumento de 18,47% aos consumidores residenciais e de baixa tensão.

Contando com os grandes consumidores , da alta tensão, que são apenas 6 no Estado, o aumento médio é de 17,49%.

Durante o encontro desta manhã, que teve participação da Fecomércio, Famasul e Fiems, representantes da indústria e do comércio garantiram que não têm como sobreviver diante de tamanho reajuste.

Na avaliação do Concen, todo esse impacto decorre do erro que a Enersul cometeu em 2003, com cobrança abusiva por 5 anos, por isso, a empresa deveria buscar alternativas para impacto menor ao consumidor.

Desde 2008, é feita devolução, parcelada, de R$ 190 milhões aos consumidores, ressarcimento que acaba agora e significa fim desconto mensal nas contas de energia e conseqüente aumento nos gastos das famílias e empresários.

Dia 15 de março, a entidade protocolou carta na Aneel, sobre a preocupação com índice de reajuste deste ano. A resposta só chegou na quinta-feira passada, lembrando da possibilidade de pedido de revisão após a homologação do valor de aumento.

Na sexta-feira, os 18,47% devem ser homologados e então o Concen entrará com pedido de revisão.



Que bom que vão pedir a reconsideração, acho que é última instância, pois esse aumento é um escárnio, um abuso, nada teve um reajuste tão elevado quanto esse percentual praticado pela Enersul, mesmo se considerarmos o indíce de inflação acumulada nos últimos dois anos.
 
Sérgio Rabello de Almeida em 06/04/2011 12:59:53
ufa até que fim alguém se manifestou....
 
glaucia regina em 06/04/2011 12:32:50
Somente agora entenderam que todos lutando juntos reunirão mais força contra os abusos dessa concessionária que tem o pior atendimento do Brasil..........NÃO VAMOS DESISTIR MATO GROSSO DO SUL!!!!
 
Renato Costa e Silva em 06/04/2011 02:09:10
Existem várias entidades que podem e devem tomar atitude contra esses aumentos abusivos, não podemos nos manter escravos das grandes empresas. Somos consumidores e temos nossos direitos. Comparem o índice de reajuste do salário mínimo federal com esse reajuste (dentre vários outros). Dessa forma que querem acabar com a criminalidade? Mantendo a população menos favorecida (maioria) sem dinheiro e sem comida ? Como podemos nos organizar e cuidar dos interessas da população, ao invés da politicagem e dos interesses pessoais?
 
Alexandre Silva em 06/04/2011 01:36:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions