A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

08/12/2014 15:01

Consumidor muda de endereço e eleva em até 60% venda nos bairros

Luciana Brazil
Celso investiu na confecção, o carro-chefe da loja. (Foto: Marcelo Calazans)Celso investiu na confecção, o carro-chefe da loja. (Foto: Marcelo Calazans)
Ao lado da esposa, Rubens diz que o black friday espanta os clientes dos bairros. (Foto: Marcelo Calazans)Ao lado da esposa, Rubens diz que o black friday espanta os clientes dos bairros. (Foto: Marcelo Calazans)

Apesar da preocupação com a situação econômica do país, o que fez decair as vendas no comércio em geral, os comerciantes de Campo Grande, que resolveram investir nos bairros, estão confiantes que neste fim de ano o cenário de lucros será mais vantajoso do que em 2013. Natal e o pagamento do 13° salário dos funcionários públicos serão os grandes responsáveis para alavancar o setor, em especial na região longe do centro, onde o segmento tem ganhado cada vez mais amplitude, apostam os empresários.

Entre os entrevistados pelo Campo Grande News, todos esperam ampliar as vendas e aumentar os ganhos em comparação com o ano anterior. Essa confiança se estabelece em motivos diversos, ou pelo investimento na loja, nos produtos, mudança de endereço ou ainda na expectativa de que o consumidor gaste a gratificação natalina em compras. 

A classe defende ainda que os mesmos produtos encontrados nas ruas do centro ou nos shoppings estão à venda no bairro por um preço muito mais atrativo.

“Com certeza, os mesmo produtos podem ser encontrados com preço menor”, afirmou o comerciante Celso Amorim, 45 anos. Há oito anos, ele tem uma loja na Rua Souto Maior, no Bairro Tijuca. Lá, onde são vendidos diversos produtos, a confecção de roupas é o carro-chefe. E foi justamente este item que o empresário escolheu para investir.

Agora, a expectativa, segundo Celso, é aumentar em 15% as vendas em relação ao ano passado. “Investi na confecção e foi o que me ajudou muito. O que conta bastante para o nosso setor é o funcionalismo. Se eles receberem o 13° no dia que o prefeito prometeu (19 de dezembro), será bom, mas se for muito próximo do Natal, como dia 22 ou 23, não é bom para as vendas”, disse o empresário.

No bairro Aero Rancho, na Rua Raquel de Queiroz, moradores também encontram muitas opções de compra. São dezenas lojas que vão desde roupas e acessórios até ervas e bicicletas.

Com a expansão do comércio nos bairros muita gente deixa de ir ao centro e começa a fazer as compras perto de casa, disse o dono de uma loja de bicicletas, “Já que ele vai encontrar o mesmo produto e com o preço melhor, ele deixa de ir ao centro”, disse José Inácio Macedo, 47 anos.

Ele aposta que para as vendas de Natal a mudança de endereço traga um crescimento de cerca de 60% em relação a 2013. “Mudei de local e já estou vendo os lucros melhorarem. Eu vendi 20% dos meus produtos em 2013. Agora o endereço novo pode me ajudar muito”, disse.

Sorteio de brindes e a divulgação pela internet são algumas das armas usadas pelo comerciante Rubens Gonçalves de Paulo, 54 anos, para atrair o cliente. Dono de uma loja que vende ervas de tereré a granel, além de acessórios como garrafas térmicas, Rubens, diz que seu grande concorrente sempre foi o Mercado Municipal (mercadão). No entanto, esse cenário tem sido diferente. "Mas agora as pessoas deixando de comprar no centro para comprar comigo".

O comerciante está satisfeito com as vendas e espera melhora para o fim do ano. A reclamação só vem quando o assunto é Black Friday - dia em que grandes lojas do centro e dos shoppings realizam megas promoções (inspiração norte-americana). "Quando eles fazem isso, aí os clientes fogem, como aconteceu este fim de semana", disse Rubens.

Comércio aposta em brindes e na proximidade de casa para conquistar o consumidor (Foto: Marcelo Calazans)Comércio aposta em brindes e na proximidade de casa para conquistar o consumidor (Foto: Marcelo Calazans)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions