A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

18/08/2017 15:20

Etanol sobe 6 vezes mais que a inflação e consumo é o menor em 10 anos

Valor do combustível disparou 16% e vendas caíram 36% em MS

Osvaldo Júnior
Etanol tem sido preterido na hora de abastecer em MS (Foto: Marcos Ermínio)Etanol tem sido preterido na hora de abastecer em MS (Foto: Marcos Ermínio)

Em cenário de variações diárias dos preços da gasolina às distribuidoras, o etanol está ofuscado. No entanto, no silêncio dos bastidores, o biocombustível contabiliza alta expressiva e amarga o pior desempenho de vendas dez anos. O etanol encareceu, em 12 meses, 16,3% e seu consumo despencou 36,8% no primeiro semestre. Em termos absolutos, são 22,57 milhões de litros a menos comercializado do combustível.

Em agosto do ano passado, o preço médio do etanol era R$ 2,64 em Mato Grosso do Sul, de acordo com a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Neste mês, a média subiu para R$ 3,07. Os 43 centavos a mais representam variação de 16,32%.

A alta do etanol é dobro da majoração do valor médio da gasolina no mesmo comparativo: 8,4%, de R$ 3,415 para R$ 3,705. Apesar disso, esse encarecimento é expressivo se considerada a inflação, que apresenta variações relativamente baixas nos últimos meses. O aumento do valor da gasolina é o triplo do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado em 12 meses (encerrados em julho), de 2,71%.

O comportamento dos preços do etanol é ainda mais crítico: o combustível subiu seis vezes acima do avanço inflacionário desde agosto do ano passado.

Com a disparada de preços, o etanol perde competitividade. O valor médio do derivado da cana-de-açúcar (R$3,071) corresponde a 82% do da gasolina (R$ 3,705). Em Campo Grande, a equivalência é de 85% (R$ 3,077 e R$ 3,602). O etanol só é vantajoso economicamente quando seu preço for inferior a 70% do da gasolina.

Etanol sobe 6 vezes mais que a inflação e consumo é o menor em 10 anos

Consumo – As vendas do biocombustível desenham trajetória inversa a dos preços. No primeiro semestre deste ano, os postos de Mato Grosso do Sul venderam 38,74 milhões de litros do etanol. O volume é 36,82% menor que o de igual período de 2016 (61,317 milhões de litros).

O quadro é ainda mais crítico, considerando que as vendas em 2016 já foram menores que dos anos anteriores. Nos primeiros seis meses de 2015, por exemplo, foram comercializados 114,96 milhões de litros de etanol em Mato Grosso do Sul.

Na média mensal de consumo neste ano é de 6,45 milhões de litros. É o menor volume desde 2006, quando foram vendidos, em média, 5,44 milhões de litros de etanol por mês no Estado.



Se quisessem aumentar o consumo "opcional" do álcool por parte dos consumidores e diminuir seu preço, que passem a colocar 15% dele, na gasolina, mas como os donos das "usinas" são ligados aos políticos, nem é preciso falar que estão garantindo a venda e os altos preços colocando alta percentagem de álcool na gasolina. A outra conversa de consumo de biocombustivel é só conversa.
 
Seusamuca em 18/08/2017 18:08:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions