A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

07/08/2014 19:48

Exportações de MS para a Argentina caíram 72% de junho para julho

Priscilla Peres

As exportações de Mato Grosso do Sul para a Argentina, país que vive uma crise,  caíram 72% em julho, comparado a junho deste ano, passando de R$ 115 milhões para R$ 66 milhões, de acordo com dados divulgados ontem pela secretaria de Comércio Exterior.

Em relação ao mesmo período do ano passado, as exportações de julho tiveram leve aumento. Já as importações da Argentina para o Estado aumentaram mais de 90% emn junho (R$ 109.538 ) comparado a julho (R$ 56.136).

Os dados ainda não informam que produtos foram responsáveis pela queda.  A Argentina é o segundo maior importador de produtos de Mato Grosso do Sul, respondendo por 9,13% da balança comercial. De acordo com dados da Secex (Secretaria de Comércio e Exterior), no primeiro semestre do a ano, foram enviados para o país vizinho ao Brasil o equivalente a R$ 261 milhões, com crescimento de 11,15% em relação ao seis primeiros meses de 2013.

Se a crise do país se agravar, o Estado sofrerá com as consequências, que podem ser tanto a queda nas exportações, principalmente de minério de ferro, como nas importações alimentícias, segundo o especialista em comércio e exterior, Aldo Barrigosse. "O momento agora é de análise. Temos de esperar para ver os próximos passos da Argentina e da conjuntura em relação a dívida deles", explica.

De acordo com Barigosse, o minério de ferro é o principal item de exportação do Estado para a Argentina. Nos primeiros seis meses do ano, o item correspondeu por 8,55% da balança comercial, o equivalente a R$ 244 milhões e crescimento de 13% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em relação às importações, a Argentina também é uma grande parceira de Mato Grosso do Sul, pois o Estado importa uma série de produtos alimentícios. "Se pensarmos em um cenário de grande crise no país vizinho, eles podem sobretaxar seus produtos para aumentar a arrecadação ou incentivar a indústria local", diz Barigosse, lembrando que qualquer das opções que a Argentine tome durante a crise será prejudicial para o Estado.

Segundo dados da Secex, a Argentina é o 7° país que mais importou do Estado no primeiro semestre de 2014. O país comprou o equivalente a R$ 421 milhões de janeiro a junho, número 32% menor que no mesmo período de 2013.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions