A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

08/09/2009 07:28

Gasolina e alimentos seguraram inflação em agosto

Redação

Em agosto a inflação foi de 0,21% em Campo Grande, conforme o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) calculado pela Anhanguera-Uniderp.

De acordo com a pesquisa, os 10 produtos que mais contribuíram para a elevação da inflação na cidade de Campo Grande no mês de agosto foram: cigarros, arroz, impressora, tomate, aluguel de apartamento, bebidas alcoólicas, aluguel de casa, contra-filé, costela, antiinflamatório e antireumático.

Por outro lado, os dez produtos que seguraram a inflação foram: pescado fresco, gasolina, laranja pêra, leite pasteurizado, short e bermuda masculina, alface, curso de idiomas, feijão, alcatra e óleo de soja.

No grupo Saúde, um dos que exerceram pressão sobre o custo de vida, encareceram o anticoncepcional e hormônio (5,18%), antiinflamatório e anti-reumático (4,41%), anti-infeccioso e antibiótico (3,37%).

O grupo Educação também registrou forte inflação no mês de agosto, devido, principalmente, a aumentos de preços de artigos de papelaria e encerramento de promoções em alguns cursos universitários.

Os alimentos, em geral, tiveram redução de preços, com deflação de 0,26%. Quanto às carnes, ocorreram aumentos nos cortes: filé mignon 5,45%, fígado 5,01%, coxão-mole 4,96% e costela 3,66%.

As quedas mais expressivas de cortes de carne bovina foram os seguintes: ponta de peito (-2,51%), cupim (-1,89%) e alcatra (-1,26%). Quanto à carne suína, ficaram mais caros todos os cortes: bisteca 14,01%, pernil 4,85% e costeleta 4,29%. O frango congelado teve deflação de 1,00% e miúdos com deflação de 2,40%.

Deflação moderada também ocorreu no grupo Transportes pela redução dos preços de automóveis novos (-0,15%) e gasolina (-1,89%).

Já no grupo Vestuário, que também registrou deflação em agosto, os produtos que apresentaram quedas foram: short e bermuda masculina (-7,18%), camiseta masculina (-4,38%) e sapato masculino (-4,32%).

"A mudança de estação tem provocado liquidações no comércio da cidade, justificando a deflação neste grupo", lembrou o pesquisador do Nepes, José Francisco dos Reis Neto.

A inflação acumulada em Campo Grande nos últimos 12 meses é de 3,68% e no ano de 2009 atinge 2,35%."Nestes oito primeiros meses do ano de 2009 somente o grupo Transporte apresentou deflação em seu índice (-1,71%), os outros grupos apresentaram índices positivos, destacando-se os grupos Despesas Pessoais (7,36%), Saúde (6,95%) e Vestuário (3,17%).

Nos últimos doze meses todos os grupos apresentaram inflações, destacando-se os grupos Saúde (8,55%), Despesas Pessoais (8,08%) e Educação (5,39%)", concluiu o pesquisador.

Prorrogado prazo para usar FGTS em prestações atrasadas de crédito imobiliário
O prazo para os trabalhadores usarem o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para pagar parcelas atrasadas do financiamento habitacional foi p...
Dólar fecha perto de R$ 3,33, maior valor em cinco meses
Num dia de tensões no mercado de câmbio, a moeda norte-americana fechou no maior valor em quase seis meses. O dólar comercial encerrou esta terça-fei...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions