A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

21/07/2017 14:02

Gasolina, que chegou a custar R$ 2,89, já está mais cara na Capital

Combustível já está sendo vendida por até R$ 3,76 e pode chegar a R$ 4,15

Osvaldo Júnior e Amanda Bogo
Gasolina comum vendida a R$ 3,76 em posto de Campo Grande (Foto: André Bittar)Gasolina comum vendida a R$ 3,76 em posto de Campo Grande (Foto: André Bittar)

Um dia depois da alta do PIS/Cofins incidente sobre a gasolina, diesel e etanol, os preços dos combustíveis começaram a ser reajustados em Campo Grande, antes mesmo dos repasses das distribuidoras. O valor da gasolina já chega a R$ 3,76 e pode alcançar R$ 4,15 na próxima semana.

O preço máximo verificado pelo Campo Grande News (R$ 3,76) é praticado por um posto, na Rua Marquês de Lavradio. Antes, a gasolina custava, no local, R$ 3,25. A alta, de R$ 0,51, equivale à variação de R$ 15,7%.

Outro valor acentuado, se comparado com a média das últimas semanas, é de R$ 3,59. Esse valor é praticado, por exemplo, no Posto Tereré, em frente ao Shopping Campo Grande e no Auto Posto Nipobras, na Avenida Euler de Azevedo. Nesse último, o combustível custava R$ 3,39, aumento de 5,89%.

Os preços continuarão subindo. A estimativa de Evaldo Rosário, gerente de posto da Petrobrás, na Avenida Mato Grosso, é que o valor da gasolina alcance R$ 4,15 em alguns dias. “Calculo que a gasolina possa chegar de R$ 4,11 a R$ 4,15”, disse.

Para ele, a alta pode reduzir o consumo. Os clientes já sumiram dos postos. A crise é mais forte no caso de quem abastece carros. E a tendência é que diminua ainda mais”, completou.

Consumidores – O comentário do gerente é sentido no bolso de quem precisa abastecer. “Achei péssimo esse aumento, tento economizar faz muito tempo, mas não tem jeito. Preciso do carro para me locomover. O Governo manda e a gente obedece”, opinou a professora Maria Auxiliadora dos Santos, 51 anos.

A aposenta Sueli Toledo, 72 anos, também reclama da alta, considerando a situação como “falta de vergonha nacional”. “É uma falta de vergonha, porque ao invés de diminuir os gastos, eles aumentam os impostos. Não sei até quando o brasileiro vai aguentar. É uma falta de vergonha nacional. Fico indignada”, reclamou.

Sueli completou que a alternativa é andar a pé, porque o transporte público também é de má qualidade. “Vou ter que deixar o carro em casa e procurar outras alternativas. O problema é que moro em Aquidauana e lá não tem transporte público de qualidade, por isso vou acabar andando a pé”, disse

Antes do repasse – Com o aumento tributário, os preços, nas distribuidoras, sobem R$ 0,4109 (gasolina), R$ 0,2135 (diesel) e R$ 0,1964 (etanol). Essa diferença tende a ser repassada à bomba. O agravante é que há postos reajustando os preços mesmo sem a alta chegar às distribuidoras.

O decreto, autorizando as altas, foi assinado ontem presidente Michel Temer . A expectativa do governo federal é de arrecadar R$ 10,42 bilhões neste ano com o aumento dos impostos.

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions