A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

13/12/2011 12:40

Indústria metalmecânica em MS projeta expansão de até 20% para 2012

Edmir Conceição*

Segundo o sindicato do setor, segmento metalmecânico tem 516 indústrias, que empregam atualmente 7.970 trabalhadores no Estado

Metalurgia em MS ignora estagnação do PIB nos demais parques industriais do País.Metalurgia em MS ignora estagnação do PIB nos demais parques industriais do País.

As indústrias de metalmecânica e metalurgia de Mato Grosso do Sul projetam para o próximo ano um crescimento de até 20% sobre o faturamento líquido de R$ 949,9 milhões obtidos neste ano de 2011 graças aos bons índices registrados ao longo dos últimos quatro anos no Estado. Na avaliação do presidente do Simemae/MS (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado), Irineu Milanesi, a expansão é em função da qualificação da mão de obra. “Quanto mais pessoas especializadas tivermos, mais vagas serão preenchidas nas nossas indústrias, que são grandes geradoras de postos de trabalho”, informou.

Ele informa ainda que hoje as 516 indústrias metalmecânicas e metalúrgicas instalas em Mato Grosso do Sul já empregam 7.970 trabalhadores. “O número de contratações também deve crescer em torno de 15 a 20% em relação a este ano que se encerra. Os números poderiam ser ainda maiores se o setor não tivesse que enfrentar gargalos, como a alta carga tributária, que fica ainda mais elevada com a bitributação da matéria-prima”, analisou.

O presidente do Simemae/MS explica que, quando se compra matéria-prima fora do Estado, já são pagos os tributos previstos, mas, quando ela entra em Mato Grosso do Sul, a mesma mercadoria é novamente tributada. “Na nossa avaliação, esse gargalo impacta diretamente na competitividade das empresas, que poderiam ter apresentado um desempenho ainda melhor neste ano”, pontuou.

Ele acrescenta também que o segmento precisa sempre de atenção do poder público para manter, permanentemente, o seu crescimento. “Nosso anseio é fazer com que nossa fabricação seja mais diversificada, melhorando o mix de produtos e buscando inovação tecnológica”, disse. Apesar disso, o empresário garante que as indústrias metalmecânica e metalúrgicas do Estado estão muito otimistas, o que ajuda a manter a competitividade, mas ainda é preciso muitas discussões com lideranças políticas para manter a hegemonia do setor.

(*) Informações do Núcleo de Comunicação do Sistema Fiems

Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions