A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

06/09/2017 18:32

Reajustes da Petrobras têm reflexo nulo no preço da gasolina nos postos de MS

Osvaldo Júnior
Nas bombas, os preços da gasolina não sofrem impacto dos reajustes da Petrobras (Foto: Marcus Ermínio)Nas bombas, os preços da gasolina não sofrem impacto dos reajustes da Petrobras (Foto: Marcus Ermínio)

A política da Petrobras de reajustes de preços dos combustíveis em nada tem impactado os valores nas bombas. Neste feriado de Sete de Setembro, a estatal reduzirá em 3,8% o valor da gasolina em suas refinarias, depois de altas seguidas. No entanto, no bolso do consumidor o reflexo deverá ser nulo.

Nos dias 1º (4,2%), 2 (3,3%) e 5 (3,3%), a petrolífera elevou os preços da gasolina nas refinarias, acumulando aumento, apenas neste mês, de 11,09%. No mesmo período, o preço da gasolina oscilou nas bombas dos postos de Mato Grosso do Sul, resultando em ligeira alta de 0,8% ou de R$ 0,03: de R$ 3,623 a R$ 3,653.

Depois desse leve aumento, houve quedas seguidas. Conforme dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio da gasolina há três semanas era de R$ 3,67. Depois, caiu para R$ 3,666 e, atualmente, está em R$ 3,653.

Essa diferença expressiva entre o comportamento dos preços na saída das refinarias e os praticados no varejo indica reflexo zero entre essas etapas da cadeia dos combustíveis.

Segundo observa o Sinpetro (sindicato que representa os postos de combustíveis no Estado), a nova política de reajustes da Petrobras, devido à dinâmica, não é fator determinante nas alterações de preços na bomba. “Como o preço muda quase todo dia, não tem mais efeito nenhum nos postos. Não chega ao consumidor”, afirmou a assessoria do sindicato.

As variáveis determinantes nos reajustes nas bombas são a concorrência (muito acirrada em Campo Grande) e mudanças tributárias, ainda de acordo com o Sinpetro.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions