A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018

09/02/2018 15:07

Receita do comércio tem queda de 5% e atinge menor índice desde 2002

Resultado se refere a todo varejo, incluindo-se os setores de veículos e de material de construção

Osvaldo Júnior
Comércio na região central de Campo Grande (Foto: Saul Schramm)Comércio na região central de Campo Grande (Foto: Saul Schramm)

Os valores movimentados pelo comércio varejista de Mato Grosso do Sul tiveram queda recorde no ano passado. De acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira (dia 9) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a receita com as vendas caiu 2,2%, o menor resultado desde 2002, quando o levantamento teve início.

Essa variação corresponde à receita acumulada em 12 meses até dezembro de 2017 em vendas do comércio varejista ampliado. Esse segmento corresponde ao varejo como todo, incluindo os setores de veículos, peças e de material de construção.

A queda da receita resultou do volume menor de vendas. A redução, modesta, foi de 0,72%. Nessa equação entre quantidade e valores das vendas, deve-se considerar terceira variável, a inflação.

Durante 2017, o IPCA (índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial do País, acumulou alta de 2,94%, resultado historicamente baixo. Preços em baixa e consumo em queda impactaram os caixas das lojas, fazendo o faturamento despencar. 

Quanto ao comércio varejista mais restrito (excluindo-se os setores de veículos e de material de construção), o resultado foi positivo no ano passado, mas com variação modesta, de 0,7%, a menor da série histórica. Nesse tipo de varejo, o estudo é mais antigo, com início em 2002. O volume equivalente apresentou alta, também tímida, de 0,5%. 

Variação da receita - comércio varejista ampliado 

MS - Acumulado em 12 meses

Fonte: IBGEFonte: IBGE


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions