ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 34º

Economia

Relicitação de ponte em Murtinho deve trazer 'segurança' para investidores

Previsão é que obra comece no fim do ano e dure quase três anos, ao custo de 84 milhões de dólares

Por Nyelder Rodrigues | 17/05/2021 18:46
Governador Reinaldo Azambuja ao lado do prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra (Foto: Chico Ribeiro/Ascom GovMS)
Governador Reinaldo Azambuja ao lado do prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra (Foto: Chico Ribeiro/Ascom GovMS)

O anúncio de relicitação da ponte entre o Brasil e Paraguai em Porto Murtinho, feito nesta segunda-feira (17) pela diretoria da Itaipu Binacional e pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), deve trazer segurança aos empreendedores que planejam investir na área e aproveitar as oportunidades ali abertas.

A ponte faz parte do projeto, sendo quesito principal deste, da Rota Bioceânica, que quer criar uma rota até os portos de Antofagasta e Iquiqui, no Chile, abrindo novo caminho para as exportações brasileiras à Ásia.

Assim, Mato Grosso do Sul, em especial Porto Murtinho - que fica a 443 km de Campo Grande -, ganharia um novo papel na logística de escoamento da produção local, além de ser ponto de entrada de importações, que ficariam mais baratas.

Ao lado do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em agenda política, o diretor-presidente do departamento paraguaio da Itaipu Binacional, Manuel Maria Cáceres Cardozo, anunciou para o dia 1º de julho a licitação da ponte sobre o rio Paraguai.

Durante passeio em local onde ponte será construída, autoridades deram 'abraço' no rio Paraguai e comemoraram a obra (Foto: Chico Ribeiro/Ascom GovMS)
Durante passeio em local onde ponte será construída, autoridades deram 'abraço' no rio Paraguai e comemoraram a obra (Foto: Chico Ribeiro/Ascom GovMS)

A novidade anunciada hoje deve trazer efeito positivo. Segundo o chefe da Semagro (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, a licitação da ponte internacional traz tranquilidade ao mercado, em especial aos empreendedores que pretendem investir em Porto Murtinho.

Ele adiantou que, por meio de tratativas do governador Reinaldo Azambuja junto ao Ministério dos Transportes, o projeto do acesso da BR-267 à ponte também está com processo licitatório adiantado para sua realização.

"É um dia histórico para Mato Grosso do Sul e para o Paraguai, quando estamos selando um compromisso que foi momentaneamente adiado, mas que agora tem seu cronograma retomado", frisa o governador Reinaldo Azambuja durante a visita dessa tarde.

Reinaldo ainda comenta que a ponte proporciona mais do que a integração física, mas a abertura de uma nova rota de circulação de mercadorias e riquezas entre os dois países, além de fomentar o turismo e estreitar relações culturais.

Já o presidente da Assembleia Legislativa sul-mato-grossense, Paulo Corrêa (PSDB), demonstrou felicidade em ver de perto a concretização do projeto. "Já podemos dizer que a ponte é uma realidade para nós, estamos vivenciando hoje um dia realmente histórico, fruto de um grande projeto do governador Reinaldo", conclui.

Reinaldo e equipe discutindo o projeto de implantação da ponte sobre o rio Paraguai (Foto: Chico Ribeiro/Ascom GovMS)
Reinaldo e equipe discutindo o projeto de implantação da ponte sobre o rio Paraguai (Foto: Chico Ribeiro/Ascom GovMS)

As autoridades presentes no anúncio foram até o local onde será construída a ponte, que terá 1,3 km de extensão, com pista dupla capaz de suportar caminhões bitrens em intensidade, além de ter acesso para pedestres.

A expectativa é que o processo licitatório seja concluído até o fim do ano e a obra começo em seguida, durante quase três anos - 33 meses. O custo toal da obra está estimada atualmente em 84 milhões de dólares.

"Estamos aqui para reafirmar o compromisso do Paraguai, a ponte abraça os dois países e seremos o centro da integração", frisa Manuel Maria Cáceres, que também destacou a retomada do projeto da ponte e o avanço da obra de pavimentação asfáltica da rodovia que corta o chaco Paraguai até a fronteira com a Argentina.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário