A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

09/09/2009 10:27

Sindicato quer a reativação de 3º turno no Estado

Redação

Sindicato que representam trabalhadores de indústrias em Mato Grosso do Sul cobra a volta imediata do terceiro turno de trabalho, extinto neste ano e que, segundo a entidade, já causou a demissão de 1.6 mil funcionários no Estado, principalmente na área de alimentação.

O corte do trabalho depois das 20 horas, seria por conta do alto custo da energia elétrica, informa o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Campo Grande e Região.

A entidade critica o fato dos empresários suspenderem o turno extra para só depois começarem a reivindicar redução de tarifa junto a Enersul.

"Deveriam continuar o trabalho para mostrar para as autoridades a necessidade de serem beneficiados com a tarifa diferenciada também nesse período", comentou o presidente do Sindicato Reinaldo salomão.

A tentativa de baixar os custos de energia já chegou, inclusive, a Brasília, mas tarde, avalia o representante dos trabalhadores.

O terceiro turno, explica a entidade, era usado também para produção e para manutenção dos equipamentos e faxina geral. Com o alto custo da tarifa de energia elétrica os empresários, ficou inviavél na justificativa dos patrões, comenta o sindicato.

Só em Campo Grande, informa, 400 pessoas perderam o emprego neste ano por causa do problema.

Os trabalhadores pedem ao governador André Puccinelli que interceda para a redução de custos, com a adoção de tarifa diferenciada como já ocorre no período das 17h30 às 20 horas.

Independente das medidas, o sindicato "sugere que as indústrias recontratem os funcionários e que reativem o terceiro turno para então ter maior poder de pressão sobre a empresa de energia elétrica e as autoridades constituídas", argumenta em nota enviada pela assessoria

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions