ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 25º

Economia

União suspende por 12 meses pagamento de parcelas do FCO empresarial em MS

A decisão publicada hoje suspende por até 12 meses, as parcelas vencidas e vincendas dos contratantes até 31 de dezembro de 2020

Por Rosana Siqueira | 06/04/2020 16:47
Empresas terão ajuda do Governo em período de crise e mais capital de giro. (Arquivo)
Empresas terão ajuda do Governo em período de crise e mais capital de giro. (Arquivo)

O Banco Central do Brasil prorrogou hoje, por meio da  Resolução nº  4.798  o pagamento das parcelas daqueles que já possuem financiamento de FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). A decisão publicada hoje (6) suspende por até 12 meses, as parcelas vencidas e vincendas até 31 de dezembro de 2020, dos contratantes do FCO empresarial. A medida vale para os que estão  adimplentes ou com atraso de até 90 dias a contar de hoje.

A resolução ainda cria uma linha de crédito especial no FCO para atender empresários impactados pela queda da atividade econômica devido a pandemia do coronavírus. So na prorrogação dev beneficiar pelo menos 6 mil parcelas do FCO que estavam vencendo no Estado.

A necessidade dos empresários de capital de giro neste momento, foi defendida pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) junto a União. “Encaminhamos a proposta da criação de uma linha de crédito específica para o Ministério da Economia e agora estamos acertando os detalhes para beneficiar o público mais atingido pela crise atual”, afirma o secretário Jaime Verruck.

A nova linha de crédito, que vai utilizar os recursos já disponíveis para o FCO não rural, poderá ser utilizada para capital e giro, em despesas de custeio, como salários e demais. Com limite de R$ 100 mil por beneficiário ou como investimento, com teto de R$ 200 mil por contratante. A taxa de juros será de 2,5% ao ano, com 24 meses para pagamento e carência até dezembro de 2020.

O operador da linha de crédito será o Banco do Brasil e a Semagro trabalha para que pequenos empresários possam usar o FAMPE (Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa) como garantia para contratação do recurso. “Temos certeza que sem isso não é possível atender os pequenos negócios e estamos atuando para que haja essa garantia”, explica o titular da Semagro, Jaime Verruck.