A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

07/10/2009 20:52

Vida útil de nova rodoviária será de pelo menos 50 anos

Redação

A nova rodoviária de Campo Grande deve atender as necessidades da cidade pelos proximos 50 anos, informou hoje o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), durante a inauguração do prédio.

Segundo ele, o processo que antecedeu a construção incluiu pesquisa sobre o futuro da região onde a estrutura foi instalada, na saída para São Paulo e garantiu esse tempo de vida útil.

"O local é estratégico e vai suportar o fluxo de veículos e crescimento, pelo menos, pelos próximos 50 anos", confirmou.

A rodoviária atualmente em funcionamento durou apenas 33 anos. Prestes a ser desativado, na região central da cidade, o prédio hoje é a imagem da decadência, conhecido como ponto de venda de drogas e abandono.

Ao falar sobre a nova estrutura e "de alma lavada como campo-grandense", Nelsinho lembrou que o maior objetivo a partir de agora é "qualidade total" no atendimento ao público, deixando no passado a precariedade que servia até como motivo de zombaria contra Campo Grande.

"Dava até vergonha. Não existia nenhuma rodoviária pior do que a nossa", comentou ao lembrar que na disputa pela Copa do Mundo de 2014, as péssimas instalações da atual rodoviária pesaram contra a Capital.

A festa de inauguração teve autoridades, mas também gente comum e futuros trabalhadores do complexo.

O Terminal Rodoviário Senador Antônio Mendes Canale abre vagas para 50 trabalhadores em 20 pontos comerciais, além de 500 empregos diretos e indiretos por conta da operação do transporte.

Durante 30 anos, o terminal será explorado pela Concessionária Terminal Rodoviário de Campo Grande, formada pelas empresas Socicam Terminais de Passageiros e Cibe Participações.

Por enquanto, o grupo só definiu 10 estabelecimentos, que incluem farmácia, lotérica, cafeteria, telefonia celular da TIM, lojas de presentes, bijuterias, revistaria, alimentação, óculos e de bolsas.

Com R$ 13 milhões na obra, que tem 6,2 mil metros quadrados de área construída, foram construídas 20 plataformas de embarque e 5 de desembarque, para atender 25 empresas de ônibus e 2,7 mil passageiros em média por dia, totalizando 83 mil pessoas por mês. Segundo a assessoria de imprensa da Socicam, a capacidade instalada é de 2 mil ônibus por dia, mais que o dobro da demanda atual de 800 veículos por dia.

Expectativas - Mesmo antes de entrar em funcionamento, os moradores da regiao já sentiram a valorização do local. Hilda Cândida, do condomínio Beta Ville, lembrava antes da entrega que o que não falta hoje é propostas boas. "O vizinho mesmo, fez uma proposta, porque ele quer mais um terreno para montar um hotelzinho aqui".

Um dos vizinhos da nova rodoviária, Nilson Nagay espera ansioso pelo asfalto. "A prefeitura vai mandar asfaltar a nossa rua", acredita ao falar dos buracos da rua Mário Quintana, onde mora.

Desativada - Sobre a antiga rodoviária da Capital, o futuro ainda é incerto. A questão deve ser incluída no plano de revitalização do centro, que será apresentado ainda em outubro.

No dia 1º de novembro, o lugar será desativado. Todos os detalhes sobre como isso vai ocorrer serão fechados até a próxima semana.

Saques do PIS/Pasep colocarão R$ 34,3 bilhões na economia
A partir de hoje (18), os brasileiros com mais de 57 anos, que são titulares de contas inativas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e...
Brasil deixou de arrecadar R$ 354,7 bi com renúncias fiscais em 2017
Com meta de déficit primário de R$ 159 bilhões neste ano e com um teto de gastos pelas próximas duas décadas, o governo teria melhores condições de s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions