A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

31/08/2014 11:33

Adrenalina é diversão para família toda em campeonato na Capital

Caroline Maldonado e Kleber Clajus
Campeonato é diversão para a família inteira (Foto: Marcelo Calazans)Campeonato é diversão para a família inteira (Foto: Marcelo Calazans)
Resultado da etapa sai as 16h (Foto: Marcelo Calazans)Resultado da etapa sai as 16h (Foto: Marcelo Calazans)
Paulo investiu na pista para receber etapas nacionais (Foto: Marcelo Calazans)Paulo investiu na pista para receber etapas nacionais (Foto: Marcelo Calazans)

Amantes da adrenalina, competidores veteranos incentivam jovens a correr com segurança na terceira de seis etapas do Campeonato Estadual de Velocidade na Terra de 2014, no autódromo Vécio Barbosa, no jardim Seminário, em Campo Grande.

O pecuarista Paulo Barbosa, 50 anos, é o proprietário da pista que possui 1.853 metros. Seu início na competição se deu há 14 anos. Antes desse período ele já alugava o espaço para as corridas, em que os carros atingem, em média, 100 quilômetros por hora.

Para que a Capital também fosse sede de etapas nacionais da modalidade, Paulo investiu no espaço, construindo banheiros e uma torre de cronometragem. “O esporte é muito importante para não fazer bagunça na rua, mas vir aqui experimentar a velocidade em um ambiente com segurança”, destaca.

Única mulher na competição, Bianca herdou do pai a paixão pela velocidade (Foto: Marcelo Calazans)Única mulher na competição, Bianca herdou do pai a paixão pela velocidade (Foto: Marcelo Calazans)

A família do caminhoneiro César Augusto Pereira, 42 anos, veio de Ribas do Rio Pardo para participar da etapa em Campo Grande. O pai, Elias Ferreira, 65 anos, é o mecânico da equipe e orgulhoso comenta que o filho já foi vice-campeão em 2005. Eles chegam a gasta R$ 2,5 mil por mês na aquisição de amortecedores e pneus para se manter nas competições. “A gente participa mais pela vontade de brincar, porque em vez de mostrar velocidade na rua, a gente mostra aqui na pista e lá anda moderado”, afirma Elias.

Única mulher competindo hoje, a academica de engenharia civil, Bianca Argentino, 18 anos, está na modalidade há 4 anos, desde que ganhou o carro do pai. Para ela, o que vale é a adrenalina e os resultados são reflexo da força de vontade e treinos constantes.

Vindo de Pedro Gomes, o pai da estudante, o empresário Devair Argentino, 53 anos, também compete e fica para a mãe, Edeuvina Neves, a tarefa de torcer. “Sofro em dobro, porque meu marido e minha filha competem. É perigoso, não gosto nem de assistir a largada, mas dou o maior apoio em incentivo para que eles participem”, diz Edeuvina.

Os 12 competidores de Campo Grande, Pedro Gomes, Costa Rica e Coxim participam as 11h30 do classificatório. Quem apresentar o melhor tempo vai liderar na largada da primeira bateria. Já a segunda bateria leva em consideração os melhores resultados da primeira, porém os que chegaram primeiro serão os últimos da largada. Cada bateria tem 20 minutos mais duas voltas.

De acordo com os organizadores da competição, os carros utilizados pelos competidores tem custo médio de R$ 10 mil a R$ 50 mil, com motor 1.8 e injeção eletrônica, atingindo 130HP. Já os pneus são os mesmos utilizados em carros de rua. O resultado da prova de hoje sai por volta das 16h. O evento é realizado pela Federação de Automobilismo de Mato Grosso do Sul, com apoio da Fundesporte (Fundação do Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul ). Os melhores colocados ganharão troféu e pontos para as outras etapas do campeonato no Estado.



Lembro das corridas deste tipo no bairro Otávio Pécora, naquela época os carros eram fuscas adaptados que tinham o apelido de "gaiolas".
 
Marcos Wild em 31/08/2014 23:02:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions