A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

28/08/2014 08:43

Aos 48 anos, produtor é destaque de MS no brasileiro de motocross

Michel Faustino
Aos 48 anos, Júnior Feitosa é o piloto mais velho do País. (divulgação/arquivo pessoal)Aos 48 anos, Júnior Feitosa é o piloto mais "velho" do País. (divulgação/arquivo pessoal)
Piloto ocupa a 63ª posição no raking nacional (Foto: divulgação/arquivo pessoal)Piloto ocupa a 63ª posição no raking nacional (Foto: divulgação/arquivo pessoal)

Aos 48 anos de idade, o produtor rural Júnior Feitosa, da cidade de Maracajú, a 160 quilômetros da Capital, pode se orgulhar em ser “o piloto mais velho do País” em atividade, conforme o ranking da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo). O “vovô das pistas” é um dos destaques de Mato Grosso do Sul na categoria MX3, acima de 35 anos, na 4ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, que acontece neste sábado e domingo no Autódromo Internacional Orlando Moura, na saída para Três Lagoas, em Campo Grande.

Há 20 anos, o produtor rural decidiu levar um pouco mais a sério o seu “hobby” preferido que é andar de moto, e hoje, o que era apenas uma”brincadeira” tornou-se coisa séria.

Júnior conta que tenta conciliar a atividade rural com a vida regrada de um atleta. São horas de dedicação, que vão da acadêmia a treinos diários, até chegar ao resultado ideal. E na carreira dele, as horas de treino refletiram-se em títulos.

“Vovô” é bi-campeão sul-mato-grossense na categoria MX3, acima de 35 anos (2004, 2010). Campeão estadual na MX1, principal categoria da modalidade (2009). Campeão na MX4, acima de 40 anos (2012), além de oito vice campeonatos. Junior é ainda o piloto do Estado com a melhor pontuação na Confederação Brasileira de Motociclismo, ele ocupa a 63ª posição no ranking.

“Todo mundo acha que o motocross é um esporte fácil, mas exigi muito da gente. São provas que chegam a 30 minutos, mas que parece que são três horas. E o preparo físico é fundamental. E nessa idade, eu acho que estou bem de folego e isso eu posso considerar como um diferencial pra conseguir me dar bem”, brinca.

O piloto diz que além de fruto de sua dedicação, as conquistas são reflexos do apoio de sua família. O filho mais novo dele, André Feitosa, 17 anos, já trilha os mesmos caminhos do pai. Ele fala com o orgulho do “caçula”, que desde os três anos já mostrava gosto pela coisa. “Ele sempre gostou, e hoje está ai. Disputando as corridas comigo. O esporte virou uma paixão em família”, disse.

E por se tratar de uma paixão a ser compartilhada com a família, Júnior pode realizar um sonho que era ter todos ao seu lado durante as competições. O produtor rural comprou um “motorhome”, uma casa sobre rodas, e diz que hoje pode levar a família pra todo lado.

“A gente sempre viaja junto. Hoje viaja mais eu e meu filho, porque a mulher enjoou, mas antigamente era a família toda, por todo o canto do País, e a próxima parada é em Campo Grande para disputar o brasileiro que é uma competição difícil só com feras”, disse.

Júnior com o filho André em etapa do sul-mato-grossense de motocross. (Foto: arquivo pessoal)Júnior com o filho André em etapa do sul-mato-grossense de motocross. (Foto: arquivo pessoal)
Motorhome utilizado para levar a família para as competições. (Foto: reprodução/arquivo pessoal)Motorhome utilizado para levar a família para as competições. (Foto: reprodução/arquivo pessoal)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions