ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  17    CAMPO GRANDE 18º

Esportes

Capital contará com Centro de Referência Paralímpico de alto rendimento

Polos serão na Vila Almeida e também na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Por Gabriel Neris | 09/06/2021 10:29
Poliesportivo da Vila Almeida será um dos polos do Centro de Referência (Foto: Saul Schramm/Segov)
Poliesportivo da Vila Almeida será um dos polos do Centro de Referência (Foto: Saul Schramm/Segov)

Campo Grande contará com o Centro de Referência Paralímpico Brasileiro, uma parceria do governo do Estado com o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro).

A unidade funcionará em dois polos, na Vila Almeida e também na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), para fomentar modalidades paradesportivas da base ao treinamento de alto rendimento, atendendo atletas da Capital e também do interior.

O acordo já foi assinado e tem vigência até o fim de 2024, mas para funcionar ainda aguarda uma melhora no cenário pandêmico da covid-19.

Uma vistoria está previsto para ainda este mês pelo supervisor da CPB, Filipe Lopes Barboza. O primeiro polo será instalado no Poliesportivo Vila Almeida e trabalhará com parabadminton e goalball.

O segundo polo está na UFMS, onde funciona o projeto de extensão “Incluir pelo Esporte”. No local já funcionam as modalidades de bocha adaptada, paratletismo e paranatação com supervisão de professores a acadêmicos de Educação Física.

Campo Grande será uma das 11 cidades brasileiras a contar com o Centro de Referência. As outras são em São Paulo, Belo Horizonte, Uberlândia (MG), Rio de Janeiro, Vitória, Aracaju, Boa Vista, Blumenau (SC), Maringá (PR) e Brasília.

A Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul) será responsável pela contratação de profissionais para os treinamentos e manutenção dos equipamentos e instalações.

“O esporte paralímpico é um dos nossos principais focos e terá um impulso técnico com esse suporte do CPB. Mato Grosso do Sul já é uma das referências a nível nacional e, agora, vamos passar a captar e potencializar ainda mais atletas com trabalho de categorias de base qualificado até o alto rendimento”, diz o diretor-presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário