ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  20    CAMPO GRANDE 22º

Esportes

Clubes aceitam Petrallás como interino, mas ele será vigiado por 5 presidentes

Presidente interino da FFMS foi mantido após assembleia tumultuada, com grupo de fiscalização estabelecido

Por Jhefferson Gamarra e Gabriel de Matos | 07/06/2024 17:35
Representantes de clubes votando pela permanência de Petrallás no comando da FFMS (Foto: Alex Machado)
Representantes de clubes votando pela permanência de Petrallás no comando da FFMS (Foto: Alex Machado)

Em assembleia extraordinária, marcada por tumulto e falta de clareza, realizada na tarde desta sexta-feira (7), a maioria dos clubes presentes acataram a decisão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e aceitaram manter o ex-presidente do Operário, Estevão Petrallás, como presidente interino da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul). A interinidade do gestor foi fixada em 90 dias, podendo ser alterada pela CBF.

Em um primeiro momento, a maioria dos clubes demostraram descontentamento com a nomeação de Estevão Petrallás como presidente da entidade. Inclusive alguns presidentes assinaram documento direcionado ao presidente do TJD-MS (Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso do Sul), Patrick Hernands Santana Ribeiro, contestando a decisão da entidade máxima do futebol brasileiro.

No entanto, a situação foi apaziguada durante as discussões da assembleia realizada entre os times, que por grande maioria, aprovou a permanência de Estevão Petrallás no comando da federação, sob a fiscalização de um grupo formado por 5 presidentes de clubes.

Dos clubes profissionais, votaram favorável a permanência de Petrallás: Corumbaense, Náutico, Águia Negra, DAC, Ivinhema, União, Naviraiense, Portuguesa, Urso, Operário, Coxim, Serc, São Gabriel, Crec, Campo Grande, Ubiratan, Operário AC, Moreninhas, 7 de Setembro, Ceart e Maracaju. Apenas Novo, Comercial e Ponta Porã foram contrários. Entre os clubes amadores foram quatro favoráveis e apenas um contrário.

Presidente da Portuguesa relatou surpresa com a manutenção do presidente (Foto: Alex Machado)
Presidente da Portuguesa relatou surpresa com a manutenção do presidente (Foto: Alex Machado)

“Foi uma surpresa o resultado final. No princípio, a gente estava no pensamento que o Estevão não ficaria, mas por isso que é bom a conversa. Mediante os entendimentos, o melhor caminho é com o Estevão se assim permanecer, que fique ele até os 90 dias, até para não ter conflito com a CBF, decisão judicial. Então venceu o diálogo”, comentou Gilmar Ribeiro, presidente da Atlética Portuguesa de Campo Grande.

O grupo de fiscalização dos trabalhos do ex-presidente do Operário à frente da federação será composto por: André Baird (Costa Rica); Iliê Vidal (Águia Negra); Bosco Delgado (Corumbaense) e Gilmar Ribeiro (Portuguesa) e Ítalo Milhomen representando o futebol amador.

“A gente vai acompanhar o trabalho do presidente eleito pela CBF, até para preparar todas essas mudanças estatutárias, preparar a eleição para 90 dias e, de fato, estruturar a federação. Para que, quando chegar as eleições, então um estatuto já reformulado pelos presidentes e que seja contente da sociedade”, destacou o presidente da Portuguesa.

Estevão Petrallás, presidente interino da FFMS durante coletiva (Foto: Alex Machado)
Estevão Petrallás, presidente interino da FFMS durante coletiva (Foto: Alex Machado)

Ao fim da assembleia, Estevão Petrallás reconheceu a responsabilidade do cargo e ressaltou a importância de não confrontar a CBF, enfatizando a necessidade união entre os clubes, principalmente no momento delicado em que vive a federação. Ele aceitou com tranquilidae a supervisão da comissão como um modo democrático de acompanhamento e destacou a necessidade de manter o foco nas competições para trazer estabilidade ao ambiente esportivo.

“A responsabilidade é grande. Inicialmente veio referendar a decisão da CBF. Eu não imagino confrontar a CBF. É muito importante nós nos unirmos. É o interesse do governo. Agora vamos conseguir respirar um pouco. O Comercial será melhor tratado que os demais. A comissão é um modo democrático de nos acompanhar. Agora é sentar e nesse momento é seguir com as competições”, disse Petrallás.

De acordo com o presidente do Comercial Esporte Clube, Cláudio Barbosa, que propôs a assembleia entre os clubes que poderia destituir Petrallás do cargo interino, avaliou que a articulação do ex-gestor do Operário nos bastidores pesou na decisão final dos clubes.

“Foi articulação dele nos bastidores. Nada contra. Os pontos foram votados favoráveis ao Estevão. Estou pelos clubes”, comentou Barbosa.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também