ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Esportes

Em situação deplorável, estádios são "espelho" do futebol decadente de MS

Em Campo Grande, Jacques da Luz e o Olho do Furacão recebem jogos profissionais

Por Gabriel de Matos e Alison Silva | 25/10/2023 14:48
uEstádio Morenão, hoje abandonado não recebe jogos profissionais há pelo menos um ano (Foto: Paulo Francis).
Estádio Morenão, hoje abandonado não recebe jogos profissionais há pelo menos um ano (Foto: Paulo Francis).

Mato Grosso do Sul está na posição 25 de 27 no Ranking Nacional de Federações da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em 2023. A classificação leva em conta o desempenho dos times do Estado em competições profissionais. Somente Rondônia e Amapá têm desempenho pior que o nosso.

A situação dos estádios em Campo Grande não deixa de ser reflexo da precariedade do futebol no Estado. Arquibancadas danificadas e gramado malcuidado em terreno desnivelado, o que pode até causar a lesão a jogador.

No momento, há três estádios listados pela FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) na Capital. São eles: o Estádio Jacques da Luz, nas Moreninhas; Arena da Paz (Olho do Furacão), no Jardim Los Angeles; e o Estádio Morenão. No momento, a melhor situação é do antigo estádio do Cene (Clube Esportivo Nova Esperança).

O técnico de futebol da Portuguesa, de Campo Grande, Glauber Caldas foi categórico quanto à situação dos campos. Nascido na Capital, ele também tem passagem pelo Operário.

Campo Grande não tem campo em condições de jogo. Todos estão longe de ter condições ideais. Todos a gente vai ter problema que acarreta em dificuldade no jogo, risco de lesão e tendinite. Nenhum reúne o mínimo de condição", analisou Glauber.

Técnico da Portuguesa, Glauber Caldas, orientando atletas (Foto: Danielle Mugarte/Assessoria)
Técnico da Portuguesa, Glauber Caldas, orientando atletas (Foto: Danielle Mugarte/Assessoria)

Morenão - A reportagem visitou os três estádios para conferir a situação. O Estádio Pedro Pedrossian, o Morenão, não recebeu jogos em 2023. O local está interditado para reforma desde o começo do ano. A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) é a administradora do local, foi consultada e não deu explicações.

O estado do gramado e das arquibancadas em geral é deplorável. O campo está com grama alta, pontos amarelados e secos. Além disso, não tem rede nas traves ou qualquer aparência de cuidado com o campo.

A última vez em condições de receber partidas profissionais, o Estádio só suportava 10 mil torcedores. Sua capacidade é de 25 mil.

Gramado do Estádio Jacques da Luz visto do setor de arquibancada (Foto: Paulo Francis) 
Gramado do Estádio Jacques da Luz visto do setor de arquibancada (Foto: Paulo Francis)

Estádio Jacques da Luz - O Estádio Jacques da Luz, dentro do parque de mesmo nome nas Moreninhas, é administrado pela Funesp (Fundação Municipal de Esporte) da Prefeitura de Campo Grande. O local recebe jogos atualmente do União ABC, Náutico pelo Campeonato Sul-Mato-Grossense Série B; Comercial e Operário pelo Feminino.

O campo, num terreno "fofo", tem buracos, gramado sem cuidados, desníveis. Neste ano, o Estádio recebeu jogos do Campeonato Sul-Mato-Grossense Série A e da Copa do Brasil.

O local chegou a ter reforma na arquibancada, bancos de reservas, iluminação e internet. No último jogo entre União ABC e Náutico, foi possível observar os jogadores com dificuldades na condução da bola e muita terra subindo a cada chute.

Segundo a FFMS, o estádio está liberado para comportar 3.500 torcedores. Neste ano, chegou a sediar os dois clássicos entre Comercial e Operário. O maior público foi de 2.430 torcedores na primeira fase da Copa do Brasil no jogo entre Operário e Operário Ferroviário-PR.

O torcedor do Operário e motorista de aplicativo Jeferson Pereira, de 30 anos, disse que se sente triste em ver o estádio Jacques da Luz assim. "A gente gostaria de ter um futebol melhor aqui. E passa também pela estrutura. Já não temos o Morenão e a Moreninha ainda tem esse gramado em péssimo estado".

Gramado do Estádio Jacques da Luz recebeu Náutico e Corumbaense recentemente (Foto: Luciano Muta/EsporteMS) 
Gramado do Estádio Jacques da Luz recebeu Náutico e Corumbaense recentemente (Foto: Luciano Muta/EsporteMS)

Em nota, a Prefeitura explicou que uma equipe técnica faz manutenção no gramado frequentemente. Porém, a situação muda "por vezes, se dá por conta das condições climáticas da época".

Além disso, sobre a impossibilidade de receber torcedores, a Funesp informou que o estádio conta com todos os laudos de Corpo de Bombeiros, Engenharia, Polícia Militar e Segurança. No entanto, os clubes mandantes precisam retirá-los na FFMS e apresentar no Ministério Público. A medida afeta União ABC e Náutico, que mandam seus jogos no Jacques da Luz.

Estádio Olho do Furacão, no Jardim Los Angeles, em Campo Grande (Foto: Paulo Francis) 
Estádio Olho do Furacão, no Jardim Los Angeles, em Campo Grande (Foto: Paulo Francis)

Estádio Olho do Furacão - A Arena da Paz, também chamada de Olho do Furacão, apresentou a melhor situação. O estádio é privado e pertencia ao antigo Cene (Centro Esportivo Nova Esperança). Mesmo com alguns pontos amarelados e desníveis, caminhando pelo gramado, está um 'tapete' se comparado ao Morenão e Moreninhas.

O local é utilizado para receber jogos amadores da Portuguesa feminino, Campeonato Sul-Mato-Grossense Sub-17 e Sub-15. As áreas do gramado com mais danos são próximos aos dois gols, onde normalmente os goleiros ficam.

O técnico da Lusa ressalta que não ter um ambiente para a boa prática do futebol é nocivo para o esporte. Além disso, a Portuguesa pretende mandar seus jogos em Sidrolândia, e o gramado da Moreninha foi um dos motivos. "A gente acredita que um campo melhor vai fazer a gente ter melhor rendimento".

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias