A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

13/10/2013 11:00

Há 10 anos, amigos em cadeiras de rodas são incentivo em maratonas

Viviane Oliveira e Zana Zaidan
Os dois amigos comemoram 1º e 2º lugar na categoria de cadeirante.  (Foto: Marcos Ermínio) Os dois amigos comemoram 1º e 2º lugar na categoria de cadeirante. (Foto: Marcos Ermínio)

O primeiro colocado na categoria "cadeirante" da Volta das Nações já foi quatro vezes campeão da corrida de São Silvestre e uma Meia Maratona, em Miami (EUA). Jaciel Paulino, 40 anos, hoje foi exemplo na Meia-Maratona Internacional do Pantanal, realizada nesta manhã em Campo Grande.

O 2º colocado, Carlos de Souza, 38 anos, é o melhor amigo de Jaciel. Os dois, que são de Santos (SP), se conheceram jogando em um time de basquete para deficientes físicos e há 10 anos passaram se dedicar a maratonas.

Conhecido por ser rápido na cadeira de rodas, Jaciel jogava na posição de ala e certo dia recebeu um convite para começar a treinar corrida. Ele gostou tanto do esporte que resolveu deixar o basquete para se dedicar nos treinos.

Empolgado com as corridas, Jaciel chamou Carlos para participar também, desde então os dois rodam o Brasil disputando provas de atletismo. Os amigos têm paralisia infantil desde um ano de idade e são companheiros nos treinos.

Pesando 80 quilos, Carlos disse que até hoje não conseguiu ganhar nenhuma prova de Jaciel, que tem 30 quilos a menos. “Na subida tenho um pouco de dificuldade”, afirma Carlos.

Apesar de amigos, os dois são adversários no atletismo e disputam cerca de 22 competições por ano. "Somos concorrentes apenas nos esporte", afirmam os dois. No total, sete cadeirantes participaram da Meia-Maratona.

“Graças ao esporte me tornei uma pessoa melhor e deixei de ser apenas o coitadinho que anda numa carreira de rodas para ser reconhecido como atleta”, comemora Carlos, que tem que conciliar o trabalho de auxiliar administrativo com os treinos.

Mesmo apaixonados pelo atletismo, eles reclamam da falta de incentivo. Pai de três filhos, Jaciel diz que os prêmios não são em dinheiro e, graças ao apoio da família é que ainda continua no esporte.

Outra dificuldade para essa modalidade é o preço da cadeira de rodas, que custa de R$ 12 a R$ 28 mil. “Apesar de tudo isso nós temos o que comemorar. O esporte uniu nossas famílias”, finaliza Carlos, que tem dois filhos.

Volta das Nações tem início neste domingo com participação de 24,5 mil atletas
Atletas profissionais e amadores participam, desde as 6h55 deste domingo (13), da 5ª edição da Meia-Maratona Internacional do Pantanal Volta das Naçõ...
Comercial fica só no empate e é eliminado pela Seduc no Sub-17
O Comercial foi eliminado do Estadual Sub-17 ao empatar em 1 a 1 com o Seduc, na tarde deste sábado (16) em Campo Grande, no estádio Olho do Furacão....


PARABENS JACIEL E CARLOS...
Um belo "exemplo" para essas pessoas que so reclamam da vida sem buscar aperfeiçoamento moral e espiritual.... E principalmente para esses adolescentes daqui do estado que só sabem ir nas escolas para brigar,fazer badernas e se matarem (ex:como na midia a algumas semanas)...AO INVÉS DE FAZER ESPORTES e ter a "REAL FELICIDADE" que procuram nas ilusões das drogas e na violência!!! ADMIRAÇÃO TOTAL POR VCS AMIGOS!!
 
kelli ibrahim em 13/10/2013 12:16:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions