A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018

14/10/2018 10:48

Jogos Radicais Urbanos terminam hoje com 3 provas de mountain bike

A premiação das provas acontece às 11h30, no Parque das Nações

Bruna Pasche e Mirian Machado
A primeira competição começou às 7h30 com as provas da categoria Turismo e Sport. (Foto:Paulo Francis)A primeira competição começou às 7h30 com as provas da categoria Turismo e Sport. (Foto:Paulo Francis)

Três provas de mountain bike marcam o encerramento da segunda edição dos Jogos Radicais Urbanos, que começaram na sexta-feira (12), no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande. O resultado que irá definir o campeão brasileiro na modalidade sai às 11h30 de hoje, depois da última prova finalizada.

A primeira competição começou às 7h30 com as provas da categoria Turismo para iniciantes com duas voltas no percurso, sendo 20 km ao todo e Sport para efeito de premiação com troféus com três voltas no percurso, 30 km ao todo.

Pela primeira vez, o corretor de seguros, Carlos Abreu, participou da categoria Turismo e conta sua experiência. “A prova foi super intensa devido à lama que havia no percurso, várias subidas onde a traseira da bike deslizava. Como foi a primeira vez que participei de um evento, não tenho noção do que é uma prova mais difícil, mas para que venho da corrida de rua e de meias maratonas onde passei por cirurgia no joelho, sinto na Mountain bike uma sensação que não sentia desde a minha última prova de meia maratona, é muita adrenalina. Ganhei gosto pelo esporte, quero treinar mais e me superar”.

A última prova, Pró, começa às 11h e é a mais difícil com cinco voltas no percurso, sendo 50 km ao total e competidores da elite, máster e sub 30.

Atleta profissional, André conta as dificuldades do esporte antes da prova. (Foto: Paulo Francis)Atleta profissional, André conta as dificuldades do esporte antes da prova. (Foto: Paulo Francis)
Fábio trouxe a esposa para torcer durante a prova. (Foto: Paulo Francis)Fábio trouxe a esposa para torcer durante a prova. (Foto: Paulo Francis)

Atleta profissional há quatro anos e melhor do Estado na modalidade, André Silas, 31, que é de Dourados, conta as dificuldades e resistências do mountain bike. “Eu comecei jogando futebol, dei uma pausa e descobri o mountain bike que é bem mais cansativo, precisa de muito preparo físico e técnica, mas estou gostando bastante. Acho que a maior dificuldade de hoje é a questão do barro, como choveu algumas raízes também estão deslizando e fica um pouco perigoso”, comentou.

O vendedor Fábio Perazola veio com a esposa de também de Dourados para competir e conta que começou a treinar há dois anos por conta da saúde. “Eu estava com o colesterol elevadíssimo e precisava fazer alguma atividade física e escolhi a bicicleta. Comecei aos finais de semana com 10km e hoje já faço 150 km por dia, além do meu colesterol estar ótimo”. Fábio participou da primeira edição no ano passado e está confiante, mas não tanto. “Eu vim só para pedalar mesmo, estou confiante, mas sei que estou longe de ganhar”, brincou.

Treinando há 20 anos, Luciene Ferreira, atleta profissional de 33 anos, carrega um vasto currículo esportivo e veio de longe para o evento. “Eu sempre pratiquei esporte, comecei com uma bicicleta emprestada com 13 anos porque via meu irmão pedalando e peguei gosto. Tenho mais de 18 títulos nacionais e já participei de mundial e pan-americano. Hoje sou suspeita para falar da profissão, mas me realizo com o ciclismo”, concluiu ela que veio com toda a família de São José dos Campos (SP).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions