ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 30º

Esportes

Naviraiense alega provocação em briga fora de campo

Redação | 05/05/2010 13:37

Ameaçado de punição pela Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul em função da briga generalizada que aconteceu durante a partida contra o Rio Verde, no último domingo, o Naviraiense se defende. De acordo com a assessoria do time, a confusão aconteceu fora do campo e foi provocada por um jogador e por pessoas da comissão técnica adversária.

Em nota publicada no site do clube já na segunda-feira, a diretoria do time esclarece que a confusão começou após a expulsão dos jogadores Todinho (Rio Verde) e Jaime (Naviraiense). "Já nos vestiários, os atletas se agrediram, sendo que algumas pessoas na comissão técnica do Rio Verde partiram para cima do zagueiro do Naviraiense, vindo a agredi-lo fisicamente, originando toda a confusão, resultando em uma briga generalizada fora das quatro linhas".

Para confirmar a versão, o site reproduz uma foto que mostra parte da confusão perto do muro que cerca o estádio Cesário de Freitas. O time também se defende afirmando que o comandante do batalhão local da Polícia Militar, capitão Natanael, confirmou a culpa do jogador do Rio verde após os policias conterem a pancadaria.

Sobre o jogador Simon Silva Ribeiro, da equipe do Rio Verde, que recebeu vários chutes e teve de ser internado na Santa Casa de Campo Grande, a diretoria do Naviraiense afirma que ele foi um dos agressores ao zagueiro Jaime. "O mesmo distribuiu pancadas, sendo que o jogador levou a pior".

O presidente do Naviraiense, Ronaldo Botelho, porém, afirma na nota que em nenhum momento a diretoria concorda com qualquer tipo de violência. "Sempre prezamos pela prática do esporte. Vamos avaliar os fatos e defender nossos atletas que não provocaram qualquer confusão, apenas se defenderam. Tentar colocar culpa ou qualquer responsabilidade desta natureza para o Naviraiense, isso é covardia", reitera.

Nos siga no Google Notícias