A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

28/10/2013 10:27

Produtor nega calote e diz que pagou R$ 1,2 milhão por jogo do Flamengo

Edivaldo Bitencourt

A Xaxá Produções, que promoveu o jogo da Portuguesa e Flamengo no Estádio Castelão, negou o calote de R$ 810,9 mil em empresários, federações e nos dois clubes. Segundo um dos sócios da produtora, Fabiano Ribeiro Rodrigues, o Xaxá, já foram pagos R$ 1,2 milhão para a realização da partida, ontem à tarde, que teve 21 mil pagantes.

Ele só admite que não pagou uma taxa de 7% sobre a bilheteria, que foi cobrado pelo Governo do Ceará, administrador do estádio, mas que será questionada na Justiça. Xaxá alega que o grupo já pagou R$ 70 mil pelo aluguel da arena esportiva. “O Governo não pode cobrar duas vezes”, alegou o empresário sul-mato-grossense.

Xaxá e o sócio, Rodrigo Insfran, continuam em Fortaleza e prometem acionar na Justiça o blogueiro Juca Kfouri e o Lance.net, que divulgaram o suposto calote. 

O representante da produtora garante que tem comprovantes dos pagamentos de R$ 600 mil a Portuguesa, de R$ 52 mil em 37 passagens aéreas, R$ 22 mil em três diárias do hotel, R$ 45 mil para a Federação de Futebol do Ceará, R$ 45 mil para a Federação Paulista de Futebol, R$ 70 mil pelo aluguel do estádio e R$ 24 mil para a segurança.

Empresário – Ele também rebateu a denúncia do empresário Marcos Yule, que alega ter levado um calote de R$ 230 mil. Segundo Xaxá, ele entrou de sócio da dupla para a realização do jogo no Estádio Pedro Pedrossian, o Morenão, em Campo Grande.

Yule depositou R$ 200 mil para a realização da partida, que foi cancelada após a pressão da TV Globo e da Federação Paulista. Xaxá garante que depositou R$ 100 mil parar o empresário e outros R$ 100 mil ele pegou na bilheteria.

No entanto, Yule, conforme Xaxá, queria receber R$ 23 mil que equivale aos gastos com mídia e propaganda. No entanto, Rodrigues e Insfran alegam que também tiveram prejuízos com o cancelamento da partida na Capital, como a emissão de ingressos. Neste caso, na avaliação, o empresário teve prejuízos por investir em um negócio que não prosperou.

Empresa de MS dá calote de R$ 810 mil em jogo do Flamengo e foge do Ceará
A empresa sul-mato-grossense responsável pelo jogo entre Portuguesa e Flamengo, no Castelão, em Fortaleza (CE), teria dado um calote de R$ 810.950,00...
Portuguesa e Flamengo fazem jogo fraco e não saem do zero
Portuguesa e Flamengo ficaram no empate por 0 a 0, neste domingo, no Castelão, em Fortaleza. Com o resultado, ambas seguem no meio da classificação e...
Portuguesa recebeu R$ 500 mil para não enfrentar Flamengo no Morenão
Oficialmente, problemas com a grade de programação da TV aberta e o horário de verão tiraram o confronto entre Portuguesa e Flamengo em Campo Grande,...


Não sei não, pode ser verdade a versão do empresário. Entretanto, quem o conhece sabe que os negócios dele em Campo Grande estão indo a bancarrota há algum tempo. Fechou algumas lojas, etc. Além disso, alguns representantes, supostamente lesados, registraram queixa, ninguém vai fazer isso se não houver uma suspeita forte de calote, não é não??
 
Renato Fane em 28/10/2013 17:21:04
Por isso que digo e repito: VIVA O FUTEBOL SUL-MATO-GROSSENSE! Além disso, parabenizo TAMBÉM, os dirigentes que gastam (pois dizem que aqui não é investimento) com o futebol da Terrinha.. que legal,,. que venha logo o futebol sul-mato-grossense.. que saudade das memoráveis tardes de domingo, com os jogos do Cene, Novoperario, ivinhema,. aquidauana.....Comercial.. Naviraiense..... Sete de Dourados, Mundo Novo... tomara que chegue logo o dia 12 de janeiro de 2014........ quero a exemplo do que fiz uma boa parte da minha vida profissional, viver e respirar o futebol de MATO GROSSO DO SUL.... parabéns aos dirigentes da Federação e dos clubes....
 
Gilson Giordano em 28/10/2013 11:22:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions