A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

03/04/2018 17:07

Retrospecto favorece Operário, mas Corumbaense defende tabu na decisão

Corumbaense nunca foi vice-campeão da Série A. Galo venceu mais jogos, porém foi derrotado pelo rival nos dois últimos jogos

Gabriel Neris
Operário e Corumbaense voltarão a se enfrentar no domingo na Capital (Foto: Operário FC)Operário e Corumbaense voltarão a se enfrentar no domingo na Capital (Foto: Operário FC)

O Operário tem o histórico favorável de vitórias sobre o Corumbaense, mas precisará quebrar um tabu do rival para chegar ao título no próximo domingo (8), o que pode ser a 11ª taça do Estadual. O rival na decisão nunca foi vice-campeão da Série A.

Nas duas oportunidades em que chegou a final, o Corumbaense levou o título. Isso ocorreu nos anos de 1984 e no ano passado. O título mais recente foi conquistado sobre o Novo, também da Capital.

O Operário também terá um mini-tabu pela frente. O Galo não vence o adversário há dois jogos, somando o primeiro jogo da decisão. No ano passado, o Corumbaense passou pelo Operário na semifinal. No primeiro confronto, no dia 16 de abril, deu Galo fora de casa por 1 a 0. Uma semana depois o Carijó deu troco, venceu por 3 a 1, e avançou para a final. 

Já o histórico de confrontos tem ampla vantagem do time campo-grandense. São 42 confrontos entre as duas equipes, com 19 vitórias do Galo, 11 empates e 12 vitória do Corumbaense. Os números são do cronista esportivo Thiago Lopes de Faria, porém não estão completos. Na FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) não há registros de confrontos em 1986, 1989 e 1992.

As maiores goleadas registradas no confronto acontecem em 1980, vitória do Operário por 6 a 0, e em 2014, 4 a 0 para o time de Corumbá.

O Corumbaense também tenta se juntar a uma seleta lista de bicampeões consecutivos, que conta com Cene (2004-2005 e 2013-2014), Comercial (1993-1994 e 2000-2001), Operário (1988-1989 e 1996-1997) e Ubiratan (1998-1999). O Galo é o único time do Estado que conseguiu chegar ao tricampeonato seguido, feito obtido entre 1979 e 1981.

Operário e Corumbaense se enfrentam no estádio Morenão, em Campo Grande, no domingo, às 15h. O time de Corumbá joga pelo empate depois de vencer o primeiro por 1 a 0. O Galo precisa vencer, independente do placar, para chegar a final. “Este será o jogo do ano”, exalta o presidente do Operário, Estevão Petrallas.

Ingressos – A diretoria do clube definiu os valores dos ingressos para a final. Os ingressos custam R$ 30 para assistir na arquibancada (R$ 15 meia-entrada) e R$ 40 das cadeiras (R$ 20 meia-entrada). O clube colocou uma carga de 9.980 ingressos à venda, cerca de 3 mil serão destinados a torcida do Corumbaense.

Os ingressos podem ser adquiridos de forma antecipada na Padaria Toscano (Coronel Antonino, 619), Cerv Já (Afonso Pena, 3.799), Box do Gordinho (Mercadão Municipal) e Bar do Zé (calçadão da Barão do Rio Branco).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions