ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  03    CAMPO GRANDE 19º

Jogo Aberto

Advogado de serial killer alega cerceamento de defesa

Por Marta Ferreira | 23/05/2020 07:00
Jean Cabreira, advogado do pedreiro que confessou 7 assassinatos (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Jean Cabreira, advogado do pedreiro que confessou 7 assassinatos (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Tese - Depois de informar que alegaria insanidade mental do cliente, o advogado do homem que confessou, segundo a polícia, o assassinato e ocultação dos corpos de sete vítimas, em Campo Grande, está querendo adotar nova estratégia para a difícil defesa. Protocolou expedientes na Justiça e na Ordem dos Advogados reclamando de cerceamento de defesa e ofensa a prerrogativas.

 Objetivo - À coluna, Jean Cabreira disse que entre as queixas está a dificuldade de acesso aos autos da investigação, que já teve o primeiro crime relatado ao judiciário para início do processo por homicídio qualificado. Com essa argumentação, o que o profissional de Direito quer, no resultado final, é afirmar que as diligências realizadas sejam declaradas "nulas".

 Complicado - Operadores da área ouvidos pelo Jogo Aberto, porém, dizem que essa é uma tentativa arriscada, diante da confissão obtida segundo a polícia, logo que Cleber foi preso, por policiais militares do Batalhão de Choque.  Foi o próprio suspeito quem indicou os locais onde estavam enterradas as vítimas.

 Ocorrência - Outra informação obtida pela coluna é de que Cabreira em março do ano passado, sofreu acidente na avenida Aracruz, na Mata do Jacinto, quando o veículo guiado por ele chocou-se com uma árvore no canteiro central. Estava com mais três com ais homens no carro. Aos bombeiros, todos confessaram estar sob efeito de álcool e cocaína

 Agenda - A Festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição, considerada a padroeira da cidade de Aquidauana,  entrou no Calendário Oficial de Eventos de Mato Grosso do Sul, por meio de lei estadual. A festa é realizada no dia 8 de dezembro todo ano no Estado.

Sem dificuldade - Apesar de algumas críticas de parlamentares, os deputados estão aprovando todos os pedidos de estado de calamidade pública, devido ao coronavírus, nas cidades do Estado. A justificativa é que mesmo os municípios que têm poucos casos devem ter liberdade para tomar ações emergenciais de prevenção e tratamento à doença.

Cuidado - Com estes decretos, os prefeitos podem fazer compras e contratações sem precisar de licitação. Os deputados, no entanto lembram que todas estas ações serão verificadas pelos órgãos de controle, como Ministério Público e TCE-MS (Tribunal de Contas Estadual), ou seja, os gestores terão que prestar contas.

Repercussão – Escolhido para ser um dos três governadores a apresentar demandas dos estados durante reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na quinta-feira (21), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), teve projeção nacional. Em torno de 50 veículos de comunicação o citaram a respeito.

Reforço de caixa – Mato Grosso do Sul recebeu um alento nesta semana com a confirmação de que receberá, até 2038, R$ 2,6 bilhões em compensação pelos efeitos da Lei Kandir, que isenta de imposto as exportações de produtos primários, entre eles por exemplo a soja.

Partilha - São 144 milhões por ano. Deste total 25%, ou 36 milhões, serão repassados para os municípios.