A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


22/08/2012 08:01

Assembleia em ebulição

Jogo Aberto

Climão

A campanha para prefeito de Campo Grande esquentou, de novo, o ambiente e gerou bate-boca na Assembleia Legislativa. O deputado Alcides Bernal fez críticas ao governador André Puccinelli (PMDB).

Troca de gentilezas

Eduardo Rocha, líder do PMDB na Casa, falou que as críticas de Bernal, que acusam o governador de coagir servidores a votar em Edson Giroto (PMDB), são motivadas pelo desespero por “estar caindo nas pesquisas”.

Troco

Bernal retrucou e disse, na tribuna, que vai pedir à vice-governadora Simone Tebet, que converse o líder do PMDB, que é seu marido. “Ele é despreparado”.

Fora de propósito

Márcio Fernandes, por outro lado, criticou Bernal por não chegar no início da sessões e levantar um assunto “fora de propósito”, o que gerou revolta ao progressista, que insinuou que o colega é “filho de papai” e nunca usou chinelos havaianas em sua vida.

Gentileza

Durante discurso, o deputado Zé Teixeira (DEM) extrapolou seu tempo regimental, enquanto abordava o conflito por terra em Paranhos, e pediu que Márcio Fernandes cedesse sua vez para concluir seu pronunciamento. O parlamentar do PTdoB afirmou que o tempo já estava reservado para Eduardo Rocha.

Por favor

Com toda sutileza, ainda ao microfone, Teixeira insistiu. “Deputado Márcio, o deputado Eduardo Rocha pode usar a palavra como líder do PMDB. O senhor pode ceder seu tempo?”, tornou a perguntar, não deixando alternativas para o colega.

Defesa

O deputado Junior Mochi (PMDB) saiu em defesa dos incentivos fiscais praticados pelo Governo do Estado, alvo de ação movida no STF pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sob alegação de que não tiveram aprovação do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária).

Sobrevivência

Mochi pediu que os outros estados que praticam os mesmos incentivos se unam para derrubar a necessidade de unanimidade no Confaz para aprovação dos incentivos. Hoje, se um estado for contra, os benefícios não podem ser praticados.

Único jeito

Para o deputado, os benefícios são as únicas alternativas que ainda garantem a possibilidade de atrair novas empresas a estados como Mato Grosso do Sul, frente a outras unidades mais desenvolvidas.

Exemplo

Ao falar do assunto ontem, o governador André Puccinelli lembrou que em alguns setores, os incentivos conseguiram fazer com que Mato Grosso do Sul tomasse indústrias de outros estados. Citou especificamente o ramo têxtil.

Delcídio foi "fantasma" em sessão que manteve Aécio
Lembrado – O ex-senador e ex-petista Delcídio do Amaral está longe do Senado desde maio de 2016, quando foi cassado, mas nesta terça-feira foi bastan...
"Nem a pau", diz Correa sobre desistir de ação contra JBS
Negativo - “Nem a pau”. Essa foi a reação do presidente da CPI da JBS, Paulo Correa (PR), à cogitação de retirar a ação contra a empresa, para preser...
Bonito quer bombar com shows gringos no Carnaval
Bombando - Empresários estão investindo pesado no Carnaval de Bonito 2018. Além da celebridade internacional Paris Hilton, uma das atrações em negoci...
Fábrica planeja investimento de meio bilhão em porto
Projeto ambicioso – Depois de inaugurar mais uma unidade em Três Lagoas, ampliando a produção de celulose, a Fibria negocia com a ampliação da estrut...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions