ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  31    CAMPO GRANDE 27º

Jogo Aberto

Câmara tem mais plateia no Facebook

Por Marta Ferreira, Ângela Kempfer e Anahi Zurutuza | 09/04/2020 06:00
Com plenário fechado, sessões são transmitida ao vivo pelo Facebook (Foto: CMCG/Divulgação)
Com plenário fechado, sessões são transmitida ao vivo pelo Facebook (Foto: CMCG/Divulgação)

Público – As sessões da Câmara de Campo Grande estão atraindo mais gente à página do Facebook em que são transmitidas ao vivo, depois que passaram a ser feitas sem público, por causa do risco de contágio pelo novo coronavírus. Antes, eram em média 150 interações por dia, entre comentários e compartilhamentos. Na terça-feira (7), esse número pulou para 850, cinco vezes mais.

Repercussão -  A sessão em questão foi marcada pela polêmica declaração do vereador Wellington de Oliveira (PSDB) de que os salões de beleza deveriam continuar abertos porque “mulher sem unha feita, nenhum marido aguenta”. A fala ganhou projeção nacional, com reportagem no canal Universa, do portal UOL, e inúmeros compartilhamentos nas redes sociais.

Respect – Dentro do partido do vereador, as declarações gravadas provocam a publicação de nota pela presidente do PSDB Mulher, Mara Caseiro. No texto, a fala é taxada como “grave” e reflexo da sociedade e o pensamento do universo machista.

Discurso – Ao fim, a manifestação não pede qualquer providência contra o parlamentar. Diz apenas que a ala feminina do partido de “posicionar contra falas” do tipo. “Devemos exigir respeito e lutar para que essa sociedade machista e preconceituosa faça uma autoanálise, uma reflexão sobre seus conceitos e valores, de modo que a atualidade e os dias vindouros sejam pavimentados com mais igualdade, respeito e amor”, encerra.

Cobrança - Para o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, é preciso mais que palavras. Em nota de repúdio, a entidade pediu, além de posicionamento da presidência da Câmara, adoção de ações preventivas em relação à valorização das mulheres.

Mais um - O Nudem (Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul) também quer providências da Câmara. Em nota, manifestou que a declaração do vereador “servem para reforçar estereótipos, objetificar a mulher e reduzi-la à condição de propriedade do homem, sem liberdade para sequer escolher suas preferências estéticas”. O núcleo exige retratação do parlamentar.

Agora é lei - Projeto aprovado no dia que os dois primeiros casos de coronavírus foram confirmados em Mato Grosso do Sul foi sancionado pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) nessa quarta-feira. A lei municipal nº 6.434 cria o Dia do Porteiro e Vigia em Campo Grande.

Risco - O deputado Pedro Kemp (PT) acredita que ainda é arriscado liberar o comércio na Capital e notou que nos últimos dias as ruas e a cidade voltaram a ficar movimentadas. Ele teme que daqui algumas semanas os casos de coronavírus aumentem muito.

Midiático mesmo - O ministro Luiz Henrique Mandetta gostou mesmo da popularidade nas redes sociais. Depois de participar à distância de live da dupla Jorge e Matheus, ontem lembrou que era dia de show da Marília Mendonça na internet. "Ficamos mais fãs porque vai fazer sem aglomeração. Boa live para todo o Brasil", comentou.

Expulsos – Depois que grupo de WhatsApp foi montado para que o HR (Hospital Regional) foi montado para repassar boletins médicos diários sobre os pacientes internados na unidade referência para o tratamento do coronavírus em Mato Grosso do Sul, integrantes estão sendo “expulsos”. Mensagem enviada ontem pede que só fiquem na comunidade virtual os parentes dos pacientes.