A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


25/08/2015 06:00

Maioria dos vereadores é contra a saída de Olarte

Edivaldo Bitencourt

Calma – A Câmara Municipal de Campo Grande decidiu adiar a votação do requerimento em que a oposição pede o afastamento do prefeito Gilmar Olarte (PP) do cargo. Os vereadores decidem o assunto na quinta-feira, após o feriado municipal.

Urgência – No entanto, para o procedimento ir à votação ainda precisa das assinaturas de 20 dos 29 vereadores. A oposição exige o cumprimento do artigo, de que o prefeito deve ser afastado por 180 dias porque virou réu por corrupção e lavagem de dinheiro no Tribunal de Justiça.

Argumento – A base de Olarte vai apelar para a inocência. Ele pode ser prejudicado pela decisão da Câmara, já que existe a possibilidade de ser absolvido pela Justiça da denúncia feita pelo Gaeco. Neste caso, não haveria como reparar o dano causado por eventual afastamento.

Vereadores – A expectativa é de que a Câmara Municipal decida manter Olarte no cargo. Por enquanto, ele conta com o apoio de 18 dos 29 vereadores do legislativo municipal. A oposição ainda tem a difícil missão de obter o apoio de mais quatro vereadores para tirar Olarte da cadeira de prefeito.

Faceiro – O vereador Edson Shimabukuro (PTB) está faceiro com o retorno do ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, ao seu partido. Candidato a governador na última eleição, Trad deixou o PMDB, onde permanece por 12 anos, e assumiu o comando do diretório regional petebista.

Feliz – O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), também está contente com a filiação do ex-petista e presidente da Cassems, Ricardo Ayache. Ele está otimista com a perspectiva do cardiologista ser o candidato do partido à prefeitura da Capital.

Seminário – Ayache comanda, nesta terça-feira (25), um sarau para debater a cultura. O evento, promovido pelo Instituto Diálogo, traz Condinome Winchester para o debate. O evento acontecerá no Mercado Cênico.

Exemplo – De olho na Prefeitura de Campo Grande, Ayache segue o exemplo do PT nos anos 90, quando realizava seminários para discutir a cidade. Após vários debates, o partido quase chegou ao comando da prefeitura em 1996, quando Zeca do PT perdeu para André Puccinelli por 411 votos.

Aniversário – Campo Grande celebrará 116 anos nesta quarta-feira com desfile cívico, marcha evangélica e protestos. A expectativa da Fundação Municipal de Cultura é reunir 30 mil pessoas durante o desfile na Rua 14 de Julho.

Impasse – A greve na rede municipal de educação corre o risco de chegar a setembro. É que a primeira reunião do Órgão Especial do Tribunal de Justiça, para discutir o assunto, só deve ocorrer no dia 2 do próximo mês. Se não for julgada antes das férias do desembargador Romero Osme Dias, a paralisação pode chegar a outubro.

(colaboraram Michel Faustino e Antonio Marques)

Crise da JBS rouba atenção de Temer
Foco na JBS - No Governo do Estado, a vinda do presidente Temer a Mato Grosso não teve a mobilização típica de visitas anteriores de presidentes. Na ...
Temer oscilou sobre decisão de vir para agenda em MS
Às pressas – A vinda do presidente Michel Temer para Mato Grosso do Sul neste sábado foi confirmada em cima da hora. A coluna apurou que tudo indicav...
Detran de MS avalia adesão a parcelar multa no cartão
Ainda não sabemos – O Detran de Mato Grosso do Sul avalia se vai fazer convênios que permitam parcelamento de multas no cartão de crédito. A autoriza...
Delcídio foi "fantasma" em sessão que manteve Aécio
Lembrado – O ex-senador e ex-petista Delcídio do Amaral está longe do Senado desde maio de 2016, quando foi cassado, mas nesta terça-feira foi bastan...



Está na hora de fazer uma limpeza na nossa casa, câmara, vamos ver se colocamos os senhores vereadores para trabalhar no próximo ano não votando neles..
 
Leandro em 25/08/2015 14:15:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions