ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 24º

Jogo Aberto

MS está a caminho do recorde nacional de calor

Por Marta Ferreira | 06/10/2020 06:00
Sol forte em produzido belas imagens em Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)
Sol forte em produzido belas imagens em Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)

Marcas históricas – Mato Grosso do Sul, se depender da previsão, vai ter assunto nacional nesta terç-feira (6), por causa do calorão que não dá trégua. A tendência é que seja batido em terras sul-mato-grossenses o recorde de temperatura já medida no Brasil.

Quanto – Água Clara, que tem sido a cidade mais quente, teve ontem 44,6 graus centígrados, a segunda maior marca já aferida no Brasil. A temperatura mais alta, de acordo com dados do Inmet, é de 44,7 graus, em cidade do Piauí, no ano de 2005, e tem tudo para ser ultrapassado.

Contra – O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) recorreu contra decisão judicial que permitiu a volta para Campo Grande dos policiais civis Vladenilson Olmedo e Márcio Cavalcanti da Silva, presos na Operação Omertà. Eles estão há quase um ano no presídio federal de Mossoró (RN) e, segundo despacho da semana passada, devem vir para o presídio estadual da Gameleira, na saída para Sidrolândia.

Argumento – Para a promotoria que atua junto à 1ª Vara da Execução Penal, responsável pelo caso, os dois policiais tem posição de “relevância” na organização criminosa alvo da Omertà. Por isso, devem ser mantidos em unidade prisional federal, destinada a detentos de alta periculosidade.

O que vale? – A coluna apurou que o Depen (Departamento Penitenciário Nacional) já foi comunicado para providenciar a transferência dos dois detentos. A operação é feita de forma sigilosa, por motivos de segurança.

Cortesia - O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, recebeu visita ontem da cúpula da PRF (Polícia Rodoviária Federal). A comitiva inclui o diretor-geral Eduardo Ággio de Sá, do diretor de inteligência, Moisés Dionísio, o diretor de Operações, Fábio Cassimiro, e o superintendente Regional da PRFl, Luiz Alexandre Gomes da Silva.

 Conversa técnica – Entre os assuntos tratados no encontro, segundo divulgado, estiveram ações integradas entre as forças de segurança estaduais  e a PRF. O inimigo comum  são os crimes de fronteira, especialmente o tráfico de drogas e o contrabando.

 Além disso - Foram discutidas, ainda, iniciativas de inteligência e operações conjuntas das forças de segurança que compõem a Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, com a Polícia Rodoviária Federal.  A corporação é responsável por policiar um nicho sensível: os mais de três mil quilômetros de rodovias federais no Estado, caminho para os grandes centros.

Nós fechamos o mês de setembro com quase 600 toneladas de drogas apreendidas somente pelas polícias estaduais e unindo esforços entre Estado de União, com maior presença das forças federais, principalmente a PRF, vamos otimizar recursos e potencializar resultados”, afirmou Videira.

Efetivo – Ággio declarou no encontro que a PRF pretende ampliar  o pessoal escalado para atuar na fronteira. “Queremos mais gente e mais estrutura para fazer frente aos crimes transfronteiriços e Mato Grosso do Sul pode contar com o nosso apoio nesse sentido”, afirmou.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário