ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 18º

Jogo Aberto

MS fornece ração produzida em terra denunciada por ONG

Por Adriel Matos e José Roberto dos Santos | 25/05/2022 06:00
Frangos comendo em granja brasileira. (Foto: Reprodução)
Frangos comendo em granja brasileira. (Foto: Reprodução)

Errata - A coluna Jogo Aberto corrige informação que citava a Cooperativa Lar como exportadora de frango de MS. O braço da entidade em Mato Grosso do Sul faz apenas o processamento da soja comprada pela Brasília Sul, que é enviada aos abatedouros da Lar Cooperativa situados no Paraná. Na verdade, o que a ONG Earthsight divulga para o mercado internacional é que o frango consumido na Europa se alimenta de ração produzida em terras de Juti, que são reivindicadas pelos índios

Truco – O deputado estadual Renan Barbosa Contar, o Capitão Contar (PRTB), duvida dos rumores que passaram a circular nos últimos dias, de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) vai declarar apoio ao ex-secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB), na disputa pelo governo do Estado. "Antes de fazerem essas especulações infundadas e de tentar colocar Bolsonaro num palanque tucano, deveriam pensar no presidente, pensar no Brasil", disparou.

"BolsoRiedel" – No fim de semana, o jornal O Globo noticiou que Bolsonaro havia decidido que apoiaria Riedel ao governo, lembrando que o tucano é aliado de Tereza Cristina (PP), ex-ministra da Agricultura e pré-candidata ao Senado na chapa de Riedel e sua principal aliada em Mato Grosso do Sul.

Ele não – Contar também descartou que sua chapa traga o procurador licenciado do MPMS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul), Sérgio Harfouche (Avante), como postulante ao Senado, já que o deputado apoia a pré-candidatura da ex-ministra da Agricultura, Tereza Cristina (PP). O que Contar prefere ignorar é que Tereza aposta em Riedel, que chegou a subir em palanque ao lado de Bolsonaro durante evento em Ponta Porã.

De novo – O bloco formado por MDB, PSDB e Cidadania adiou mais uma vez o anúncio do postulante da chamada terceira via à Presidência da República. Marcada para terça-feira (24), a reunião ficará para 2 de junho, após os tucanos postergarem uma reunião interna, em vista da desistência do pré-candidato João Doria. O grupo já aposta na senadora Simone Tebet (MDB-MS) como alternativa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

Erros no palácio – O deputado estadual Evander Vendramini (PP) apresentou indicação ao Ministério da Infraestrutura pedindo reparos nas BRs 060 e 262. Até aí tudo bem, não fosse o fato do documento ser endereçado ao "ministro Tarcísio Gomes de Freitas". Tarcísio deixou a pasta em abril para concorrer ao governo de São Paulo.

Competitiva - O MDB assumiu ontem Simone Tebet como pré-candidata do partido à presidência e de saída ela recebeu apoio importante. Grupo de empresários, economistas, representantes das áreas da educação e urbanismo, além de artistas indígenas, assinaram manifesto de apoio à sul-mato-grossense. Simone ganhou adjetivos como “enérgica e pacificadora".

A praga do Egito – Originário do Egito, o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, é o centro das atenções até quinta-feira na Secretaria Estadual de Saúde. Nada menos que 40 entidades, incluindo o Ministério da Saúde, estão reunidas para traçar estratégicas de combate à praga, que tem no Centro-Oeste a sua preferência.

Mosquito mutante – A principal preocupação é quanto ao fato de que o mosquito vem se adaptando às novas estações e causando mal igual ao tempo das águas. Às portas do inverno e com umidade relativa do ar na faixa dos 20%, em 2022 já são quase duas mortes por mês registradas. E o número de casos notificados só cresce. Em Campo Grande, só o Bairro Jardim Bela Vista não tem casos registrados.

A ordem é conciliar – Na atual realidade econômica nacional, vale a máxima de que "é melhor um mau acordo, do que uma boa demanda". Prova disso são os resultados da primeira semana da conciliação na Justiça do Trabalho de Mato Grosso do Sul: foram 347 audiências, 144 acordos fechados, 1.500 pessoas atendidas e a garantia de que R$ 3,3 milhões serão pagos pelas empresas a trabalhadores, colocando fim a meses e anos de litígios.

Nos siga no Google Notícias