A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


18/12/2013 06:00

Prefeitura não renova contrato com empresa

Edivaldo Bitencourt

Sem renovação - O contrato da prefeitura com a empresa de engenharia Litucera, que faz serviço de varrição de ruas, está vencido. E, mesmo permitido por lei, não deve ser renovado por mais 180 dias.

Normal - Do interior de São Paulo, cidade de Vinhedo, a Litucera não tem tido concorrência em Campo Grande e seu contrato foi renovado automaticamente ao longo dos últimos cinco anos.

Tribunal de Contas - Agora, decisão do Tribunal de Contas, que afeta serviços da Prefeitura, é entrave para a permanência da empresa prestando serviços na capital. A Litucera, no entanto, tem aliado forte na equipe do prefeito Alcides Bernal.

Clima festivo – O governador André Puccinelli (PMDB) almoçou, ontem, com os deputados estaduais na Assembleia Legislativa. O cardápio foi comida árabe, uma especialidade do presidente do legislativo estadual, Jerson Domingos (PMDB).

Campanha – O ex-deputado federal Pedro Pedrossian Filho anda irritado com os índios sul-mato-grossenses. Ele vem fazendo campanha no Facebook contra os jornais que usam o termo terra indígena. Pepe, cuja família corre o risco de perder a fazenda em Miranda para os terenas, vive irritadíssimo com a dimensão que o conflito em MS ganhou no País e no mundo.

Round – De tanto defender o prefeito Alcides Bernal (PP) no Facebook, assessora está, literalmente, em maus lençóis. Márcia Scherer foi convocada pelos vereadores para prestar explicações sobre comentário feito ontem. Apesar dela ter apagado, até o chefe, o superintendente de Comunicação, Djalma Jardim, foi convocado pelos vereadores.

E o trabalho? – A dúvida, agora, da vereadora Juliana Zorzo (PSC) é se a jornalista Márcia Scherer trabalha ou só fica na rede social. “Ela está trabalhando ou falando no Facebook?”, perguntou, ontem, no plenário. “Ela e esse prefeito estão querendo encantar a população com voz mansa de vendedor de sorvete. Estou indignada com essa atitude”, bradou Juliana.

Saudades - O governador André Puccinelli afirmou que estava com saudades da Assembleia, onde esteve durante dois mandatos. Ele ressaltou que na época era jovem e dinâmico, cheios de perspectivas pela frente. André ainda ponderou que hoje pensa que muitos conflitos poderiam ter sido evitados, mas que sempre deixou amigos por onde passou.

Ideias opostas - O presidente da Assembleia, o deputado Jerson Domingos (PMDB), agradeceu a todos que ajudaram os trabalhos da Casa neste ano. Ele contou que, apesar de ideias e partidos diferentes, todos tiveram o direito de opinar e mandar seus recados no legislativo, inclusive a sociedade civil. "Sempre demos o espaço necessário independente do assunto, o local sempre ficou disponível para a sociedade", explicou.

Puxão de orelha - O deputado Osvane Ramos (PT do B) não deixou de dar um "puxão de orelhas" no presidente da Fetems, Roberto Botareli, após a aprovação do reajuste salarial dos professores. "O presidente (Fetems) disse que não iríamos aprovar o texto porque nossos filhos não estudavam em escola pública, mas muitos professores também colocam seus filhos em escola particular", afirmou ele.

(Colaboraram Kleber Clajus e Leonardo Rocha)

#FicaTemer: governo vai deixar saudades, avalia Marun
#FicaTemer – A hastag bombou nas redes sociais impulsionada por eleitores que fazem oposição ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro, e o ministro ...
O ato falho de Odilon ao anunciar apoio
Tropeço – No ato em que recebeu apoio do MDB na disputa pelo governo estadual, Odilon de Oliveira (PDT) também aproveitou para declarar seu apoio a J...
Deputada não reeleita critica regras
Justificativa - A deputada Mara Caseiro (PSDB) comentou ontem na Assembleia Legislativa que não se elegeu pelas regras da legenda, já que sua votação...


Sr. deputado do PT do B, assim como existem "BONS e MAUS políticos", na nossa profissão (o magistério público) também existem bons e maus profissionais, ou melhor, há pessoas que não acreditam no seu próprio trabalho. Dessa forma, não se valorizam e muito menos não valorizam os seus colegas de profissão. E, não é por causa de um ou outro que a classe do MAGISTÉRIO PÚBLICO não deva ser VALORIZADA pela sociedade sul-mato-grossense.
 
Antonio Paredes em 18/12/2013 10:44:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions