A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


13/03/2014 06:00

Secretário "profetiza" o caos com saída de Bernal

Edivaldo Bitencourt

Atirando – No discurso de defesa, Alcides Bernal adotou a tática de cair atirando. Ele atacou os vereadores, os meios de comunicação e os antecessores. Ele voltou a destacar que só caiu porque não utilizou o dinheiro público para fazer negociatas.

Esqueceu – O ex-prefeito esqueceu de mencionar as investigações feitas pelo MPE (Ministério Público Estadual) de enriquecimento ilícito e três ações por improbidade administrativa. Ele ainda enfrenta outras investigações feitas pelos três promotores de Defesa do Patrimônio Público.

Desespero – Ao saber que perdeu apoio até dos fieis aliados, o ex-prefeito partiu o desespero. Citou e até elogiou vereadores de oposição na esperança de conquistá-los na última hora e evitar a cassação. “Vamos mudar a história”, repetiu.

Até Puccinelli – Após citar e atacar os antecessores, Bernal encontrou tempo até para elogiar o governador André Puccinelli (PMDB). Ele disse que o peemedebista até aprendeu nos últimos sete anos e vem fazendo uma boa gestão.

Sumido – Aliado de Bernal desde a campanha eleitoral, o senador Delcídio do Amaral (PT) sumiu de Campo Grande. Ele nem ligou nem tentou articular meios para salvar o mandato do progressista.

Nova empresa – A CCR decidiu criar uma nova empresa para assumir a gestão da BR-163. A MS Via vai investir R$ 3,4 bilhões nos primeiros cinco anos e deverá contratar 4 mil pessoas. A expectativa é que o pedágio comece a ser cobrado em setembro de 2015.

Coalizão – O novo prefeito, após a cassação de Bernal, Gilmar Olarte (PP), adota um novo estilo de gestão. Ele deverá implementar um governo de coalizão, em parceria com todos os partidos.

Dia histórico – Bernal vai ficar para a história por ser o primeiro prefeito a ser cassado em 115 anos de Campo Grande. Ele repetiu a façanha do ex-presidente Fernando Collor de Mello, que assumiu a presidência da República como salvador da pátria e foi cassado por corrupção.

Puxa fila – O secretário municipal de Administração, Ricardo Ballock, foi o primeiro a deixar a Câmara Municipal. Ele nem esperou a votação ser concluída para abandonar o barco e dar a batalha por perdida.

Profeta – Ainda nem entregou o cargo, o superintendente municipal de Comunicação, Djalma Jardim, deixou a sessão da Câmara, no início da madrugada de hoje, profetizando o caos. Ele disse que a situação vai piorar. “Vai virar um caos”, previu, apostando no quanto pior melhor para o povo sentir saudades do prefeito cassado.

(colaboraram Kleber Clajus, Zana Zaidan e Leonardo Rocha)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


o caos estava...
daqui pra frente só melhorar....
 
Carlos Alberto Barbosa Corrêa em 13/03/2014 11:54:10
O caos vai acontecer, mas não para a população de Campo Grande e sim para os ex-secretarios e ex-secretarias, cujo único talento é gritar para defender o indefensável Bernal, ultimamente defender o prefeito era como defender a música nacional atual, não tem como, basta ouvir para saber que não tem defesa,
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 13/03/2014 10:07:02
(Secretário "profetiza" o caos com saída de Bernal) em que planeta este ex vive? caos é o que Campo Grande viveu sob a égide do radialista sem noção em administração que conseguiu ludibriar a maioria dos Campo-grandenses a votar nele e quase destruiu a cidade com tanta incompetência. O prefeito Gilmar Olarte deve se precaver de futuras dores de cabeça e de imediato determinar uma auditoria em todas as contas da desastrosa e já passada administração do ex ditador Bernal, e mostrar o resultado para a população, pois tem muito dinheiro "desaparecido" neste ano que passou conforme apurou a CPI.
 
Antonio Mazeica em 13/03/2014 09:35:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions