A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


19/10/2019 07:00

Sentença federal que por aí leva 2 anos, aqui demora 5

Ângela Kempfer e Tainá Jara
Prédio do TRF3, em São Paulo, que também decide sobre Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)Prédio do TRF3, em São Paulo, que também decide sobre Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação)

Na encolha - A maioria dos parlamentares do PSL de Mato Grosso do Sul ficaram quietinhos em relação ao quebra pau que dividiu o partido do presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias. Enquanto o líder na Câmara Federal chamava Bolsonaro de 'vagabundo' e dizia que iria implodir o governo, senadora de MS falava de Bolsa Família, deputado federal lembrava do Dia do Médico e os estaduais mostravam atoleiro de ônibus e lei que obriga hinos em datas cívicas.

Briga por dinheiro - Apenas um deles resolveu meter a colher publicamente na briga interna. O deputado federal Loester Carlos usou as redes sociais para dizer que "essa briga é por dinheiro de fundo partidário. Não vou me envolver nisso..." postou, já se envolvendo.

Longe da meta - Normalmente, os trâmites na Justiça Federal são considerados mais céleres que nas estaduais. Mas enquanto a média de tempo até a sentença é de 2 anos e 3 meses na maioria, no TRF-3, que abrange São Paulo e Mato Grosso do Sul, são 5 anos até a decisão em primeira instância.

Panela de pressão - Duas agentes penitenciárias de Mato Grosso do Sul foram na fonte para aprender como lidar com situações de alto risco em operações nos presídios. O cursinho intensivo foi dado por agentes do Rio de Janeiro.

Jeito tradicional - A Receita Federal vai mandar cartas a 330 mil contribuintes com "indícios de inconsistências nas declarações do Imposto de Renda" 2019. Para evitar golpes pela internet, o orgão resolveu apelar para maneira clássica de comunicação, via Correios.  As cartas começaram a ser enviadas no início da segunda quinzena de outubro.

Luz divina - Eleito no entusiasmo com um governo que prometia menos taxas e mais justiça tributária, o deputado estadual Renan Contan (PSL) anda revoltado com a proposta da Aneel de cobrar pela geração de energia solar. "A luz solar é divina, gratuita, indispensável para a vida e está disponível para todos, muito antes de existirmos. Enquanto outros países estimulam e fomentam geração de energias renováveis, a Aneel envergonha o Brasil com essa proposta repudiante."

Taxando o sol - Ele segue o mesmo discurso da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), que também enviou mensagem ao diretor-geral da Aneel, André Pepitone da Nóbrega, condenando a ideia de taxa sobre o valor da energia que o consumidor produz, principalmente, a partir de painéis solares. 

Energia limpa - "Nós brasileiros precisamos nos mobilizar contra esse tipo de iniciativa que traz insegurança e prejuízos diretos para quem já realizou os investimentos e proíbe os investimentos futuros nessa linha de geração de energia limpa”, reclamou o presidente da Fiems, Sérgio Longen.

Noivinhos - O Tribunal de Justiça agora tem um espaço para celebrar casamentos civis. No Centro Integrado de Justiça, um lugar foi “inaugurado” nesta semana pelo casal José Carlos e Thais. “Pensei que seria algo mais simples”, comentou ela.

Junta médica - Depois de ter declaração do cirurgião vascular João Jazbik considerada insufiente para provar a necessidade de atendumemto médico para Jamil Name na prisão, a defesa dele apresentou relatório de três profissuonais. Os laudos são assinados por endocrinologista, pneumologista e neurologista.

 

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions