ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  23    CAMPO GRANDE 33º

Arquitetura

Acidente fez arquiteta mudar a casa e a vida com minimalismo

Em e-book, ela mostra que minimalismo não é ter quase nada. É ter uma estrutura que possibilite uma vida prática e fácil

Por Thailla Torres | 07/05/2020 06:23
Confira a Galeria de Imagens:
Escritório de Silvia em Campo Grande. (Foto: Fellipe Lima)
Escritório de Silvia em Campo Grande. (Foto: Fellipe Lima)

A arquiteta Silvia Vieira lembra de um ritmo acelerado, sempre preocupada, acumulando funções e correndo contra o tempo. Até que em 2018 ela sofreu um acidente de carro, que a fez repensar na vida profissional e pessoal. Silvia usou da dificuldade para desacelerar e reavaliar tudo o que tinha feito na vida até aquele momento. Assim ela descobriu um novo estilo de vida que mostra o quanto é bacana viver com o essencial. Se reinventou com o minimalismo na rotina e na arquitetura.

E tudo bem se você gosta de viver com muito, e não vê graça alguma no minimalismo. Para quem gosta ou sente curiosidade, Silvia lançou nesta semana o seu primeiro e-book “Minimalismo. Conceito de vida atemporal”. Uma leitura agradável para quem busca se reinventar, seja na vida pessoal ou na decoração de casa. Afinal, minimalismo é conceito que pode se aplicar a qualquer aspecto da vida.

Silvia mudou de estilo e prova na arquitetura menos é mais. (Foto: Allan Kaiser)
Silvia mudou de estilo e prova na arquitetura menos é mais. (Foto: Allan Kaiser)

Tomada pela transformação pessoal, Silvia conta como tudo começou. “Sempre admirei o estilo minimalista. Quando fiz o meu projeto, já o fiz com essa identidade. Simplesmente saiu da minha cabeça para o computador. Sem esboço. Estava cansada dos excessos e optei por tudo simples, porém funcional. Vi com essa experiência e tantas outras, que podemos ser felizes sem os excessos. O menos, que muitas vezes é visto como vazio ou frio, na verdade é a redução de preocupações e de gastos de energia desempenhada com o que não é importante”, explica.

Por conta disso toda a sua estética mudou. Silvia reduziu o guarda-roupa, os pertences, até a decoração da casa. “Fiz uma limpa na vida, de maneira geral. E me encontrei neste caminho. Mudei totalmente meus projetos e encarei um mercado como se começasse do zero, onde muitas pessoas não conheciam este conceito”.

Hoje os clientes procuram a arquiteta porque sabem do seu empenho pelo minimalismo. “Procuram-me por isso, querendo algo leve, clean e elegante. Então quis registrar um pouco do que sei no e-book para compartilhar com mais pessoas este conceito de vida, que é tão oportuno nos dias de hoje, podendo ser aplicado em qualquer lugar, para qualquer pessoa”.

Na arquitetura - Todos querem e buscam viver bem. Dormir bem, comer bem e morar bem. Seja esse local grande ou pequeno. A arquitetura é arte, é forma, é movimento, explica a arquiteta. “A finalidade da arquitetura é proporcionar uso a um espaço feito com conhecimento técnico, mas também com amor, pensando no conforto de quem vive ou transita por ele. Minimalismo segue os mesmos princípios: primeiro é ter um ambiente funcional, que atenda suas necessidades básicas diárias, com aconchego e conforto, mas sem poluição visual. Seja uma casa inteira ou uma sala, não é maravilhosa a sensação de limpeza, lucidez, organização, sofisticação e leveza? Então, minimalismo é isso”, detalha.

Minimalismo tem detalhes únicos. (Foto: Fellipe Lima)
Minimalismo tem detalhes únicos. (Foto: Fellipe Lima)

E quem acha que menos é pouco está bem enganado. O simples hoje virou sinônimo de elegância, personalidade, conforto. “Minimalismo tem pilares fortes como: muita Iluminação natural, o uso de formas puras, emprego de cores neutras, extrema funcionalidade e aplicação de materiais de qualidade. No entanto, para essa simplicidade ser elegante é necessária muita perspicácia do profissional para atender todos esses pontos”. Por conta disso, um projeto minimalista não é mais simples de ser feito do que um projeto de outro estilo. “Tudo deve ser ponderado para ter um equilíbrio. Nosso inconsciente reage a tudo o que vemos. Porém, o simples não precisa ser frio, triste, solitário”.

Um projeto minimalista pode ser acolhedor, receptivo e ultrassofisticado, enfatiza. “O desafio é saber harmonizar. Ter um local com essas características, faz bem a quem está no ambiente. Como essa é uma dúvida bastante comum, estou já inclusive trabalhando com o meu próximo projeto, em que lançarei um curso on-line para que mais pessoas tenham acesso à compreensão de que o simples também pode ser fino, a partir de alguns ajustes muito práticos que todos podem fazer em sua própria casa”.

E o minimalismo não precisa ficar só na sala. Você pode aplicar o conceito em todos os cantos. “É importante lembrar que não é ter quase nada de móveis ou coisas. É ter uma estrutura que possibilite uma vida fácil, prática, onde você pode encontrar rapidamente o que precisa, tendo o mínimo de manutenção e trabalho. Por isso, deve ser elaborado com cuidado e com bons acabamentos. Durabilidade é palavra de ordem nesse conceito”.

Quem quiser ter acesso ao e-book basta seguir Silvia no Instagram (clique aqui)

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Veja exemplos de projetos minimalistas na arquitetura:

Sala de banho, projeto de Priscila Gabriel, o minimalismo é bem representado no ambiente de 78 m² e o cimento é um dos poucos materiais utilizados. (Foto: Jomar Bragança/Casa Cor)
Sala de banho, projeto de Priscila Gabriel, o minimalismo é bem representado no ambiente de 78 m² e o cimento é um dos poucos materiais utilizados. (Foto: Jomar Bragança/Casa Cor)
Contraponto: ambientes minimalista e monocromático com texturas especiais que simulam pedra e madeira. (Foto: Casacor)
Contraponto: ambientes minimalista e monocromático com texturas especiais que simulam pedra e madeira. (Foto: Casacor)
Casa container de Marília Pellegrini: o branco se impõe de forma calma e impactante. (Foto: Romulo Fialdini/Casacor)
Casa container de Marília Pellegrini: o branco se impõe de forma calma e impactante. (Foto: Romulo Fialdini/Casacor)
Sala Shanti de Bianca da Hora: Minimalista, o espaço combina o acolhimento da madeira, a leveza dos tecidos naturais e a funcionalidade no mobiliário de jovens designers brasileiros. (André Nazareth/Casacor)
Sala Shanti de Bianca da Hora: Minimalista, o espaço combina o acolhimento da madeira, a leveza dos tecidos naturais e a funcionalidade no mobiliário de jovens designers brasileiros. (André Nazareth/Casacor)


Nos siga no Google Notícias