ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 29º

Arquitetura

Em casa que já existia vida, restauração chegou para transformar rotina de casal

Detalhes em madeira revelam gosto do casal pela decoração rústica e a vontade de viver numa casa de campo

Por Thailla Torres | 21/01/2020 07:20
Casa abriga características rústicas que tem tudo a ver com a personalidade dos donos.
Casa abriga características rústicas que tem tudo a ver com a personalidade dos donos.

Há décadas um casal campo-grandense adquiriu um espaço distante do Centro para chamar de seu e trazer o clima do interior para dentro de casa. Afastada, a estrutura de campo é morada para quem não dispensa a tranquilidade na rotina.

Com o tempo, o cenário bucólico e acolhedor que conquistou o casal também precisou de retoques. O desejo dos donos era reformar a casa sem intervenções que deixassem de lado a rusticidade. Para não deixar o clima de casa de campo para trás, os donos contrataram os arquitetos Janaina Grippe e Rodrigo Vianna, do escritório NNPP Arquitetos.

“Nesse projeto existia toda uma vida e a arquitetura passou a morar ali quando iniciamos a reforma. O casal tem um apreço gigantesco pela casa e não há o interesse de se desconectar com ela, por isso, o trabalho foi trazer soluções que aproveitam ao máximo o terreno, sem luxo ou detalhes que escondessem a personalidade deles”, explica a arquiteta.

Parte do mobiliário foi reaproveitado.
Parte do mobiliário foi reaproveitado.
Casa de campo ganhou mais "vida" após reforma.
Casa de campo ganhou mais "vida" após reforma.

A antiga construção que havia ali era com ambientes desproporcionais: uma cozinha totalmente isolada, uma garagem que só cabia um carro, banheiros gigantescos com box e pias pequenos, então o casal logo sentiu a necessidade de reformar a casa para poder receber melhor a família, amigos e viver com mais conforto.

Os arquitetos abraçaram o projeto com todo o entusiasmo de quem está ansioso para testar novas ideias. E não pense que as tendências contemporâneas tomaram conta do lugar. Janaina e Rodrigo optaram por um trabalho minucioso de restauração desde as esquadrias até o ladrilho hidráulico que durante muito tempo ficou escondido.

“Antes da reforma era uma casa desocupada em meio ao campo e alguns uso não eram pertinentes. Então a solução foi fazer intervenções que garantissem uso e fluxo dentro da casa”, destaca Rodrigo.

O trabalho de restauração ficou evidente nas esquadrias de madeira que, no projeto anterior, havia recebido camadas de tintas que mascaram a beleza da madeira. “As esquadrias de madeira foram recuperadas. Foi feito um trabalho de remoção das três camadas de tintas que haviam para retomar a cor natural da madeira. Além disso, as portas rústicas, em madeira, também tiveram seus aspectos preservados”, comenta Janaina.

O antes da casa com telhado diferente.
O antes da casa com telhado diferente.
Depois, com novo telhado, pintura e paisagismo.
Depois, com novo telhado, pintura e paisagismo.
Área de lazer da família.
Área de lazer da família.
Esquadrias de madeira foram restauradas.
Esquadrias de madeira foram restauradas.

Do lado de dentro, mais de 50% da decoração e detalhes que revelam a personalidade da casa são em madeira. A escadaria, revestimento de paredes, adornos, mobiliário e porta principal. “São detalhes que transmitem a vida da casa. Mantivemos o que havia de interessante e complementamos com aspectos que fazem parte da vida moderna, como uma parte elétrica, hidráulica e internet”.

Os banheiros ganharam uma nova disposição para atender a família, a casa também recebeu uma garagem generosa com uma ampliação que passa despercebida e uma nova cozinha ganhou ilha e foi integrada a varanda da casa. “Eles gostam de receber familiares e amigos. Hoje, a cozinha é um dos pontos principais para esses momentos”.

O paisagismo também conquistou o olhar do casal de arquitetos. No projeto anterior, havia um jardim lotado de plantas de poda e com aspecto mais artificial. “Decidimos então por um paisagismo que conversasse mais com o tempo e a natureza deles. Optamos por plantas que parecessem natural e que estava nascendo ali”.

Até uma palmeira que havia perdido suas folhas foi reaproveitada para se tornar morada das araras que colorem o céu e o olhar dos donos da casa de campo. “Sem dúvidas, com pequenas intervenções e uma preocupação com o restauro, hoje, a família possui uma casa de uma linguagem só”, completa a arquiteta.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563 (chame agora mesmo)

Nos siga no Google Notícias
Confira a Galeria de Imagens:
Regras de comentário