A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

04/06/2018 07:49

No tom da decoração afetiva, tricotin e crochê em malha vestem a casa

Feitos a mão, peças são vendidas em Campo Grande por artesãs

Thaís Pimenta
Técnica dá um toque a mais em artigos, como no caso desse lustre. (Foto: Divulgação/Pinterest)Técnica dá um toque a mais em artigos, como no caso desse lustre. (Foto: Divulgação/Pinterest)

Romântico, com carinha de que saiu da casa da vó, os artigos decorativos feitos com as novas técnicas de artesanato manual do tricotin e do crochê de malha são fofos, descontraídos e moderninhos. Seja em casa, no escritório ou até mesmo em uma festa descontraída, os fãs de crochê e tricô vão adorar conhecer mais da novidade, funciona até em acessórios, como colares e presilhas para os cabelos.

Conhecido também como rabo de gato ou i-cord, o tricotin é um cordão de tricô ou crochê arredondado que, quando preenchido com arame, pode tomar as mais diversas formas. O formato tubular desta corda é que fez com que artesãos conhecessem este item como rabo de gato. Em Campo Grande, a jornalista Dáfini Lisboa criou uma lojinha online, a Panápaná, que tem como carro chefe as peças.

''É uma vontade antiga, mas uma concretização recente. Abrimos em setembro de 2017, com a ideia de oferecer itens alegres e diferentes para a casa, dando maior ênfase no feito à mão. Minha irmã e eu fazemos o tricotin e estamos expandindo em produtos artesanais por meio de parcerias e de produção própria também'', conta ela.

Com opções a pronta-entrega de alguns itens de mais saída, como os flamingos, que estão muito em alta para decoração de festas e ambientes da casa, elas também fazem encomendas. ''Atendemos muitas mamães com pedidos de nomes para o quarto do bebê ou para decorar a porta da maternidade. Cobramos na faixa de R$ 9,00 por letra apenas para nomes''.

Nomes precisam ser encomendados (Foto: Acervo Pessoal)Nomes precisam ser encomendados (Foto: Acervo Pessoal)
Mamães costumam encomendar o nome do bebe em tricotin. (Foto: Acervo Pessoal)Mamães costumam encomendar o nome do bebe em tricotin. (Foto: Acervo Pessoal)

Ainda de acordo com ela, o trabalho é sua segunda fonte de renda e é bem bacana de produzir. ''Fazemos primeiro o molde para ter a ideia exata do tamanho do cordão e também porque assim a estrutura fica mais definida. Se fizéssemos depois, ficaria difícil pra moldar. E o cordão de tricô pode ser feito com um tear manual, que foi como eu comecei, uma maquininha, que é o que utilizamos agora, pois deixa o produto final mais bem-acabado e agiliza muito mais a produção, ou até mesmo com agulhas de crochê, vai de cada um''.

As irmãs estão num processo de testar novas técnicas. ''Vamos mesclando técnicas artesanais, inserindo o ponto cruz em composições com o tricotin, dando ideias de como decorar utilizando estas técnicas''.

Para produzir as peças, é possível usar linhas e lã, vai de cada desenho e de cada profissional escolher qual é mais interessante. ''Pra gente, especialmente para alguns desenhos, como o do cacto, por exemplo, acho que fica mais legal com lã''.

Flamingo dá um toque a mais na decoração da estante. (Foto: Acervo Pessoal)Flamingo dá um toque a mais na decoração da estante. (Foto: Acervo Pessoal)
Aqui as duas técnicas foram utilizadas, tricotin e crochê em malha. (Foto: Acervo Pessoal)Aqui as duas técnicas foram utilizadas, tricotin e crochê em malha. (Foto: Acervo Pessoal)

A crocheteira Karol Pimenta entrou de cabeça na ideia o crochê de malha depois que descobriu o fio de malha. Ela, que tem uma marca própria, que leva seu nome, e também vende algumas peças na Panápaná, explica que esses artigos produzidos por meio da técnica são decorativos e funcionais.

''Costumo produzir cestos que se tornam porta controle, servem para esconder ou decorar vasos e plantas, servem como porta canetas, porta peso de porta, são várias as utilidades'', comenta.

Karol faz crochê desde os 12 anos mas há um ano descobriu o fio e nunca mais largou. ''É uma técnica nova por aqui, então tem poucos lugares, por exemplo, que vendm o material. Muito por conta disso eu gosto de vender a pronta entrega, porque não sei quanto o fio vai render e quanto dele vou encontrar pra comprar'', completa ela.

Os cestinhos costumam ir de R$ 15 a R$ 25,00. Os tricotins de forma diverstidas saem a partir de R$ 35,00. 

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.

Crochê em malha é porta controle.. (Foto: Acervo Pessoal)Crochê em malha é porta controle.. (Foto: Acervo Pessoal)
E porta maquiagem. (Foto: Acervo Pessoal)E porta maquiagem. (Foto: Acervo Pessoal)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.