ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 29º

Artes

Artistas vão para frente da prefeitura cobrar verba do FMIC e Prêmio Ypê

Plano é manter o protesto até que a prefeitura libere os recursos ou, pelo menos, converse com grupo

Por Idaicy Solano e Antonio Bispo | 11/12/2023 12:58
Cerca de 20 manifestantes ocupam a frente do paço municipal, no Centro de Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)
Cerca de 20 manifestantes ocupam a frente do paço municipal, no Centro de Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami)

Trabalhadores da cultura em Campo Grande se reuniram em frente ao Paço Municipal para cobrar o pagamento do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais) e lançamento do edital do Prêmio Ypê, ambos referentes ao ano de 2023. A mobilização começou no final da manhã desta segunda-feira (11) e reivindica, também, o repasse de R$ 6 milhões voltados para o setor da cultura, mas transferidos para outras secretarias no final de novembro, de acordo com o grupo.

Cerca de 20 pessoas levaram cartazes perguntando "Cadê o edital?", "S.o.s cultura" e "Os artistas são os verdadeiros protagonistas da cultura". O grupo exige esclarecimentos sobre o atraso no repasse aos artistas contemplados e a falta de informações sobre o prêmio. A expectativa é de que o protesto dure até a prefeitura atender os manifestantes.

A artista visual e membro do Coletivo Enegrecer, Erika Pedraza, se juntou à mobilização na manhã de hoje. Segurando uma placa com os dizeres "Exigimos a publicação imediata do edital", a artista reforça a importância do apoio do poder público à cultura.

"Para que a gente consiga promover os movimentos, a gente precisa muito desse apoio. Até o momento ninguém da prefeitura desceu para conversar, mas a gente aguarda posicionamento para resolver isso o quanto antes e da melhor forma", expressa Erika.

Erika se juntou aos manifestantes na manhã desta segunda-feira (Foto: Henrique Kawaminami)
Erika se juntou aos manifestantes na manhã desta segunda-feira (Foto: Henrique Kawaminami)

O músico e conselheiro Municipal do Colegiado de Música, Sal dos Santos, reforça que "é impossível viver apenas de música em Campo Grande" e se juntou ao protesto para representar toda a categoria. "O cenário da música independente em Campo Grande é muito precário, e os artistas que trabalham com isso necessitam de um apoio e repasse vindo da Secretaria de Cultura".

Entoando gritos de “prefeita, a cultura precisa de você”, o artista Tero Queiroz explicou que muitos profissionais do setor investem em projetos pessoais e também em projetos mais "robustos", que necessitam de uma estrutura maior e demandam um valor mais alto. Para isso, necessitam do apoio da prefeitura.

O que a gente vem reivindicar aqui é simplesmente o cumprimento do edital, o cumprimento da lei do sistema municipal. Então a gente vai vir hoje, vai vir amanhã e depois. A gente tá brigando para que seja executada uma coisa simples, o pagamento dos editais", explica o artista.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Conforme relata o artista, a expectativa era de que os editais fossem lançados até o mês de junho, e os pagamentos feitos até o final de 2023. Sem previsão de lançamento, a categoria cobra que seja publicado até o final de dezembro, para receberem em 2024. "Mas tem que lançar este ano, para entrar no orçamento do próximo [ano]", reforça Tero.

Além disso, o grupo argumenta quanto ao valor de R$ 6 milhões transferidos do setor da cultura, que segundo eles, foram repassados para outras secretarias. Dessa forma, a prefeitura não efetuou o pagamento através do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais). "Mudou a rubrica agora dia 20, colocando esse dinheiro em outro lugar que não a cultura", disse Queiroz.

A reportagem procurou a Prefeitura de Campo Grande, através do e-mail, para questionar a respeito da publicação do edital e do pagamento dos artistas, e aguarda o retorno.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias