A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

02/09/2019 15:40

Com 10 anos de amizade, turma de enfermeiros prova que sonhos se realizam

Amigos se reuniram há 5 anos, escreveram cartas com desejos e, neste fim de semana, abriram juntos durante festa

Danielle Valentim
Turma soma 26 colegas de faculdade. (Foto: Henrique Kawaminami)Turma soma 26 colegas de faculdade. (Foto: Henrique Kawaminami)

Com direito a parabéns, camisetas e muita diversão, uma turma de Enfermagem acaba de completar 10 anos com diploma na mão e muita união. No fim de semana, o grupo provou que nem o tempo pode apagar laços criados pela amizade e que metas a curto prazo podem ser alcançadas.

Este foi o segundo reencontro da turma. O primeiro aconteceu na casa da enfermeira Helena Delgado, especialista em neuropsicopedagogia, há cinco anos. Com prazer, ela mesma organiza os reencontros para a turma que a considera uma “mãezona”.

“Desde que saímos da faculdade não perdemos o contato. Antes não tinha WhatsApp então conversávamos pelo Orkut, Messenger. Com a chegada do WhatsApp conseguimos juntar todo mundo. Somos em 26 e os que não conseguiram vir hoje, por estar fora do estado, vão se reunir com a gente em dezembro”, conta.

Nunca perdemos o contato, mesmo quando não tinha WhatsApp, pontua Helena. (Foto: Henrique Kawaminami)Nunca perdemos o contato, mesmo quando não tinha WhatsApp, pontua Helena. (Foto: Henrique Kawaminami)
Professora de Saúde Pública Denize Ramos estava presente na festa. (Foto: Henrique Kawaminami)Professora de Saúde Pública Denize Ramos estava presente na festa. (Foto: Henrique Kawaminami)

Uma das coisas que mais uniu a turma foi uma ação para garantir a qualidade do curso na universidade. Ao saberem da possibilidade de demissão de todos os professores com mestrado, mobilizaram todas as turmas do curso e conseguiram reverter a decisão da Anhanguera, que manteve os profissionais.

Outro diferencial é a presença dos professores, que mesmo com passar dos anos ainda interagem com os ex-acadêmicos, agora colegas de profissão. A professora de Saúde Pública Denize Ramos estava presente na festa.

“É uma delícia, porque a gente perde o contato com alguns, acompanha uns de longe, outros de perto, outros já trabalham com a gente. Nos sentimos bastante orgulhosos. São frutos colhidos e a gente sabe que todos estão bem, então é muito bom”, pontua.

Anderson sonhava com a família e conquistou. (Foto: Henrique Kawaminami)Anderson sonhava com a família e conquistou. (Foto: Henrique Kawaminami)

Durante a comemoração, a enfermeira Helena que também comandava o microfone convidou parte dos colegas para a leitura de metas escritas há cinco anos. Os desejos foram passados para o papel no primeiro encontro da turma.

Nos papéis, cada um colocou o que gostaria de realizar nos próximos anos. Entre os presentes, o que mais desejavam há cinco anos, era trabalhar menos e ganhar mais. O desejo teve de ser prorrogado.

Muitos conseguiram viajar mais e, principalmente, constituir uma família. Um dos desejos do enfermeiro Anderson Alan Meireles Soares, de 43 anos. Ele tinha como meta começar a construir uma família.

“É evidente que continuamos trabalhando bastante, algumas coisas que almejamos ainda estamos buscando, mas ter uma família era o principal”, frisa Anderson.

Alexandre, durante a leitura das cartas. (Foto: Henrique Kawaminami)Alexandre, durante a leitura das cartas. (Foto: Henrique Kawaminami)

O enfermeiro Alexandre de Souza, de 46 anos, atualmente Analista de Saúde na Unimed, é o segundo mais velho da turma. Na época da graduação precisou escolher entre estudar e trabalhar, mas no fim, conquistou reconhecimento na área.

“Eu entrei na turma em 2007, porque eu fui da primeira turma que formou-se em 2005. Com o nascimento da minha filha em 2002, precisei escolher entre trabalhar e cursar a faculdade, pois na época estava trabalhando na CliniCASSI-BB. Como a Helena fala que é a mais velha ou mais experiente eu sou o segundo”, pontua.

Colegas lendo os desejos escritos há 5 anos. (Foto: Henrique Kawaminami)Colegas lendo os desejos escritos há 5 anos. (Foto: Henrique Kawaminami)

Alexandre lembra que o grupo fazia parte da turma do fundão, mas com boas notas. “Minha colação de grau até mesmo a baile ficou muito marcado para mim e minha família. Minha mãe que entrou comigo no baile. Ela estava radiante sentiu-se como seu baile de debutante que nunca teve. Foi um sonho realizado duas vezes pra ela”, lembra.

Dos desejos da carta somente o mestrado ainda não foi atingido. Por outro lado, Alexandre conquistou reconhecimento na área. “Fui gerente do Hospital El kadri por 5 anos, supervisor de Enfermagem noturno da Santa Casa por 3 anos. E hoje estou como Analista de Saúde da Unimed. Tenho duas pós graduação e graças a Deus sou reconhecido na enfermagem. Os enfermeiros e técnicos que estiveram sob meu comando até hoje me chamam de chefe, mandam mensagem até no dia dos pais. Acho que isso é o reconhecimento maior”, finaliza.

Muitas mulheres da turma estavam grávidas e o encontro foi a oportunidade para os amigos conhecerem o restante da família. O próximo encontro deve acontecer em dois anos. "Já estou velha, não vou conseguir esperar mais cinco anos", brincou Helena.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Muita diversão durante a festa. (Foto: Henrique Kawaminami)Muita diversão durante a festa. (Foto: Henrique Kawaminami)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.