ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Comportamento

No Centro, “santinho erótico" faz convite e tem gente incomodada

Alguns até temem pelo casamento com a entrega dos panfletos, e também com a possibilidade de acesso das crianças

Por Raul Delvizio | 21/10/2020 07:42
Não foi difícil encontrar uma cópia do "santinho pervertido" (Foto: Paulo Francis)
Não foi difícil encontrar uma cópia do "santinho pervertido" (Foto: Paulo Francis)

Quem trabalha pelo Centro de Campo Grande pode até estar acostumado com "cada coisa que acontece", mas na Rua 13 de Maio um planfletinho tem dado o que falar e gerado até reclamação de quem passa por ser considerado "perverso".

O papel pequeno exibe propaganda de acompanhantes no Centro com local para atendimento e telefone de WhatsApp. As imagens são mulheres em poses sensuais. No entanto, tem gente considerando o conteúdo "pornográfico demais" para ser distribuído no local.

"Estão deixando nos carros, no meu já deixou pela terceira vez. E como tem fotos explícitas, acho muito perigoso. Penso no casamento, em crianças, coisas que realmente podem acabar de uma forma ruim", diz uma leitora do Campo Grande News que prefere não ser identificada.

"Menino, não é possível que eu esteja vendo isso. É esquema do 'chama, me liga', é isso mesmo?", questionou Camila Freitas, vendedora de uma loja de capinhas para celulares. Ela diz que viu uma mulher, segundo ela, de aproximadamente 50 anos, distribuir o "santinho" pelas ruas do centro, vestida com camiseta de escola pública, shortinho justo, óculos escuros e boné.

Camila viu quando uma senhora começou a distribuir os panfletos eróticos (Foto: Paulo Francis)
Camila viu quando uma senhora começou a distribuir os panfletos eróticos (Foto: Paulo Francis)

É importante dizer que o conteúdo – "acompanhantes com local no centro" – com quatro imagens de mulheres em poses sensuais não é nada ilegal, até mesmo porque se tratando de prostituição não é considerada crime no Brasil. O que é infração, entretanto, é o fato de "distribuir e expor publicamente objeto obsceno" conforme sugere o Artigo 234 do Código Penal – com reclusão de 6 meses a 2 anos ou multa.

Os dias que a mulher faz a panfletagem são variados. Ontem (20), por exemplo, a distribuição foi de manhã cedo, e foi possível encontrar os "santinhos" espalhados pelos para-brisas dos carros estacionados ainda no início da tarde.

"Quem trabalha aqui no Centro já vê essas coisas mesmo. Pra mim, isso é bem normal", afirmou Matheus Silva, gerente de uma loja, que acrescentou: "posso até não concordar por achar que passou do limite, mas está apenas fazendo o serviço que foi mandando, né".

Matheus não concorda, mas entende que a pessoa está apenas fazendo seu serviço (Foto: Paulo Francis)
Matheus não concorda, mas entende que a pessoa está apenas fazendo seu serviço (Foto: Paulo Francis)

Já outra comerciante disse achar a situação "sem nexo" pois é "avançado demais pros dias de hoje".

"Tem muita gente que não gosta, acha inapropriado. Publicamente, não é legal isso aí não", falou Valquiria Costa, de 33 anos.

A vendedora Camila disse que outro dia mesmo uma criança pegou o panfleto erótico, e casou uma situação constrangedora.

"Esse menino de uns 10 anos já tinha até celular. Os pais estavam mais à frente, quase na esquina, então não viram o menino pegando a propaganda e ligando para o número", relembra.

Encontramos esse senhorzinho nas ruas do Centro, que ficou "envergonhado" ao ver o "santinho" (Foto: Paulo Francis)
Encontramos esse senhorzinho nas ruas do Centro, que ficou "envergonhado" ao ver o "santinho" (Foto: Paulo Francis)

Mas o "santinho" tem clientela? Segundo Camila, ô se tem. "Tem uns velhos do Centro que pegam mesmo e, pra variar, ficam apertando as partes íntimas, são completamente nojentos", opinou.

Para Dona Graça, proprietária de uma lanchonete na rua 13 de Maio, a propaganda pegou ela de surpresa. Mas isso pode ser até servir de "aprendizado".

"Nosso mundo é regido pelo poder, dinheiro e sexo. Nos jornais da Capital mesmo tinham esse serviço. Então qual o problema de agora? Tudo bem, é uma coisa que já meio que saiu de 'moda' do nosso dia a dia, mas é uma realidade. Estou curiosa para saber o que vão responder", disse.

Dona Graça opina que essa é uma realidade que não podemos fechar os olhos (Foto: Paulo Francis)
Dona Graça opina que essa é uma realidade que não podemos fechar os olhos (Foto: Paulo Francis)

Em contato com o número descrito no "santinho erótico", uma mulher que não quis se identificar disse que se trata apenas “de um serviço de massagens” – não explicando qual “especialidade” ou se por acaso tratava de massoterapia. Mas fez um convite, com endereço e tudo, para irmos até lá.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Discretos, os panfletos passam despercebidos por estarem virados pro interior dos carros (Foto: Paulo Francis)
Discretos, os panfletos passam despercebidos por estarem virados pro interior dos carros (Foto: Paulo Francis)
Nos siga no Google Notícias