ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 33º

Comportamento

Rosa 'esquece' tempo livre para fazer roupa e artesanato virarem ração

Brechó e composto por roupas que recebe como doação, além de itens feitos por ela e pela avó

Por Aletheya Alves | 05/12/2023 08:22
Rosa participando do Mercado de Pulgas, realizado no Parque dos Poderes. (Foto: Aletheya Alves)
Rosa participando do Mercado de Pulgas, realizado no Parque dos Poderes. (Foto: Aletheya Alves)

Há cerca de um ano, a arteterapeuta Rosa Oto adotou uma gata de rua e, desde então, se conectou com animais que estão em situação parecida. Em busca de ração e auxílio para os bichos de rua, ela decidiu deixar de lado o tempo livre e começar a vender roupas usadas e artesanatos para lutar pela causa.

Voltando ao ano passado, Rosa explica que já tinha um pet de nove anos, o Sol. Enquanto passeava com o cachorro, encontrou uma gatinha ainda filhote de apenas 30 dias e não conseguiu deixar a cena para trás.

“Resgatei ela, mas eu mal conseguia dar ração para o cachorro que eu já tinha e decidi começar a fazer as mandalas para vender. Sou arteterapeuta, então me envolvi nisso”, explica a vendedora.

Além das mandalas, ela incorporou bolsas de retalhos feitas pela avó nas opções disponíveis para venda e começou a participar de feiras. Com o tempo, os pensamentos voltaram a se direcionar para outros animais de rua e assim o movimento para comprar ração se intensificou.

Roupas e artesanatos são transformados em ração para animais sem donos. (Foto: Divulgação)
Roupas e artesanatos são transformados em ração para animais sem donos. (Foto: Divulgação)
Roupas possuem preços variados conforme marca e tempo de uso. (Foto: Aletheya Alves)
Roupas possuem preços variados conforme marca e tempo de uso. (Foto: Aletheya Alves)

Sem poder resgatar todos os animais que encontrava pelas ruas, a ideia foi de comprar ração e fornecer ao menos água para os bichos que encontrava pelo caminho. “Comecei a sair com ração na moto e sempre que vejo, dou um pouco para os animais”.

Nesse processo, algumas roupas também foram inseridas nas vendas de feiras e, hoje, são seus produtos em maior quantidade. Comercializando os itens nas feiras do Horto Florestal, de Antiguidades e Mercado de Pulgas, tudo o que é vendido se torna renda para que ela consiga comprar ração e ajudar de outras formas.

“Qualquer coisa comprada aqui é revertida para a ação. Eu também aproveito para conscientizar as pessoas de que os animais precisam de ajuda, precisam de água ainda mais nesse calor que vem fazendo. Tudo é parte da luta”, detalha.

Sem imaginar que trabalharia também com ações do tipo, a terapeuta pontua que não se arrepende de usar o tempo livre com as vendas. Até porque assim como ela, sua família também acaba se envolvendo no processo.

Nas feiras, ela trabalha sozinha, mas a composição do brechó é feita coletivamente. Enquanto ela continua produzindo as mandalas, os tapetes e produções da avó sempre estão por ali e grande parte das roupas é doada pela família.

Entre as opções, Rosa cita que calça jeans costuma custar a partir de R$ 20, blusas femininas saem por R$ 20, vestidos a partir de R$ 40 e camisetas originais de time valem R$ 70.

Para mais informações sobre as ações de Rosa e presença em feiras, seu perfil no Instagram é @ajude.os.reinos.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Siga o Lado B no WhatsApp, um canal para quebrar a rotina do jornalismo de MS! Clique aqui para acessar o canal do Lado B.

Nos siga no Google Notícias