ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 19º

Consumo

Ao se beijar, casal gay leva bronca em bar e pergunta: E se fosse com héteros?

Por Paula Maciulevicius | 14/10/2015 06:23
Por volta das 2h da manhã, o casal gay que se beijava na porta de entrada da casa levou um puxão de orelha. (Foto: Arquivo/Vanessa Tamires)
Por volta das 2h da manhã, o casal gay que se beijava na porta de entrada da casa levou um puxão de orelha. (Foto: Arquivo/Vanessa Tamires)

Na madrugada do último domingo, beijos trocados entre homens deram pano pra manga e se tornaram polêmica no Blues Bar, em Campo Grande. Por volta das 2h da manhã, o casal gay que se beijava na porta de entrada da casa levou um puxão de orelhas e ouviu de um funcionário a repreensão "menos rapazes". O questionamento que ficou de um dos envolvidos foi o seguinte: E se fosse um casal hétero?

Para ele, o episódio deixa claro que a relação com a homossexulidade ainda está longe de ser resolvida em bares que não carregam a bandeira LGBT.

Estudante, o rapaz que prefere não se identificar tem 22 anos e é assumidamente gay há seis. De Dourados, ele foi ao bar pela primeira vez com amigos. Ao Lado B, o jovem contou que estava curtindo a noite quando começou a se aproximar de outro rapaz. Os dois estavam trocando beijos quando o pedido para que parassem chegou.

"Era um rapaz de camisa branca, da organização, ele nos empurrou e pediu para que a gente parasse. Falou 'menos né rapazes' e para a gente escolher entre ficar ou ir embora", descreve. O jovem disse que na hora não teve reação e escolheu sair.

"Eu não estava acreditando, nunca tinha passado por isso. Sou gay assumido e a gente nunca deve ser tratado dessa maneira. Tinha uma festa inteira acontecendo, vários casais heteros se beijando. Talvez isso tenha incomodado, os homens hétero, ou existe realmente alguém que fica controlado isso", completa. 

Depois de pedir desculpas ao rapaz que ele beijava, o estudante deixou o bar e ficou esperando os amigos do lado de fora. "Me senti mal na hora e acabei saindo sem rumo, com o segurança me observando". No feriado, em outra festa de amigos, ele soube que não tinha sido o único e que duas meninas também passaram pela situação. 

"Ontem eu estava num aniversário e uma menina falou isso, que chegaram da mesma forma, só que com mais delicadeza e pediram para que elas parassem", completa. Com elas, segundo relatado a ele, o episódio foi mais light e depois da conversa, elas permaneceram na casa.

Proprietário do bar, Ivan Torres deixou claro ao Lado B que o casal foi repreendido justamente porque chamava a atenção e que o mesmo teria sido feito com qualquer outro casal porque ali é um bar "de família".

"Não fomos chamar atenção porque era homens se pegando, mas pelo jeito que eles estavam se pegando, nem casal de namorado faz aquilo. Foi uma cena muito feia, 20 pessoas vieram falar", explica. 

O proprietário justifica que a cena era praticamente sexual e que isso é inadmissível. "Dentro do bar não, e toda vez que isso acontecer, seja homossexual ou hétero, vai ser chamado atenção. Aqui não tem disso, é um bar de família, tanto é que a gente sempre assina nos posts como 'Família Blues Bar' e não aceitamos nenhum tipo de pegação". 

Ivan completa dizendo que na casa, sempre foi assim e que não adianta virem comentários de racismo e preconceito, que nada vai mudar. 

Curta a página do Lado B no Facebook!

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário