ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 20º

Diversão

Coração de mãe é o que mais sofre em dia de prêmio, mesmo de filhos famosos

Por Anny Malagolini | 04/03/2013 17:09
Munhoz e Mariano com os amigos, em festa ontem em Campo Grande.
Munhoz e Mariano com os amigos, em festa ontem em Campo Grande.

A mãe ainda chama Mariano de Ricardo, nome de batismo. Valentina Aparecida Mariano Bejos Gomes, 59 anos, nesta segunda-feira amanheceu com o filho em casa, uma felicidade em tempos de agenda cheia.

A volta a Campo Grande teve um motivo especial: o prêmio conquistado ontem no Domingão do Faustão, programa que deu fama à dupla e que agora reconhece os cantores como os donos da melhor música de 2012. “Quase enfartei”, brinca Valentina.

No domingo mesmo, Munhoz e Mariano desembarcaram por aqui. No aeroporto, deram de cara com centenas de fãs e depois seguiram para festa, com direito a carreata até os altos da avenida Mato Grosso.

Há dois dias sem dormir, hoje eles aproveitaram para descansar até tarde, colocar o sono em dia, já que ficaram acordados até o começo da manhã comemorando com os amigos.

Ontem, a tormenta foi grande para as mães. Antes da premiação, os olhos fixos na TV, o coração apertado tinham como alento a troca de mensagens com o filho, que pedia para a Valentina rezar.

Em outro endereço, a mãe de Munhoz, a empresária Tânia Cortez Calux, de 46 anos, passava o mesmo sufoco. Ela conta que antes da revelação do ganhador, conversou bastante com o filho, que estava tenso “Só de olhar ele na TV, sabia que ele estava em pânico, a gente conhece o filho que tem”.

Tudo mudou na vida dessas famílias. Depois de 12 anos vendendo marmitas, Mariano resolveu assumir a casa, e disse que a mãe não precisava mais trabalhar. No fim do ano veio o presentão de natal, uma L-200. “Eu tinha uma Bis (moto), e sempre tive o sonho de ter uma camionete. Agora não é sonho, é realidade”.

Emocionada, Valentina relembra os momentos em que passaram apertos, em que Mariano a ajudava. “Isso que aconteceu com os meninos é uma benção. Eles se empenharam muito para estar lá, e sei que o Ricardo fez isso pensando na família dele. A saudade a gente administra”. Hoje, o que não falta pela casa é brinde com o nome de Mariano. A única peça da casa que lembra a existência do outro filho é a geladeira, com o adesivo "Artur"

Uma das principais recordações é do primeiro show da dupla em Campo Grande, na casa de shows Santa Fé. Valentina, mãe coruja, estava lá, “Ele ficava com a mão no bolso, todo tímido, aí pedi pra ele rebolar e deu no que deu”.

Tânia acompanhou tudo do sofá de casa.
Tânia acompanhou tudo do sofá de casa.

Passado recente - Mas a notícia de que trancariam a faculdade para se dedicar integralmente ao sonho musical, entristeceu as mães. “Quase morri, mas queria a felicidade deles”, comenta Valentina.

Tânia também lembra o quanto ficou brava em ver que os meninos abandonaram o futuro tradicional. “Era importante ter uma faculdade, fiquei preocupada com a decisão dele”, comenta, hoje com um Audi que ganhou do filho.

Aquele velho ditado, de que mãe é tudo igual, só muda o endereço, se repete por aqui também. Tânia comenta que a fama provoca preocupações, como álcool e drogas. “Confio nos meninos, mas a gente fica com medo, esse mundo é diferente”.

Na garagem da casa da mãe de Munhoz, o famoso Camaro amarelo continua estacionado. Ciumento com o carro, ninguém dirige além dele.

Mariano mora em São Paulo (capital) e Munhoz em Olímpia (SP), “por conta da calmaria”. Duas vezes por mês, Tânia visita o filho, para cuidar da casa e da “parte pessoal”, explica. Apesar da vida em Olímpia, por conta da acessibilidade, a mãe de Munhoz diz que a vida do filho é aqui. “Ele gosta de Campo Grande, só não fica de vez por que não é prático”.

Para ficarem mais perto de Mariano, os pais vão passar uns meses em São Paulo, na casa do filho, para matar a saudade e acompanhar de perto a carreira.

O medo de que sejam dupla de apenas sucesso, por vezes assombra a mãe de Munhoz, que tenta incentivar os garotos.“É preciso inovar, trabalhar duro, é um emprego também, como um convencional”.

Hoje, Tânia fala da emoção que os meninos passaram em ir pela primeira vez ao exterior e ver a neve, mas sem saber falar inglês, os meninos passaram sufoco. Ela conta ainda que o filho ligou se dizendo arrependido em não ter terminado o curso de inglês.

A dupla se despede de Campo Grande quarta-feira de madrugada, rumo a São Paulo. Para este mês já estão previstos 28 shows. Os campo-grandenses vão ter que esperar um pouco para ver a dupla ao vivo, já que eles se apresentam em na capital em 18 de maio.

Mãe de Mariano mostra geladeira que ganhou fotos dos filhos, Mariano e Artur. (Foto: Anny Malagolini)
Mãe de Mariano mostra geladeira que ganhou fotos dos filhos, Mariano e Artur. (Foto: Anny Malagolini)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário