A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

08/04/2018 08:00

Edição da Feira da Bolívia tem 30 anos de Embrujos de España e aula de pilates

Programação começa às 9h, na praça da Rua Dias Ferreira, bairro Coophafé

Thaís Pimenta
Imagem da edição da Feira da Bolívia do mês passado. Feira já foi adotada pelos campo-grandenses. (Foto: Divulgação)Imagem da edição da Feira da Bolívia do mês passado. Feira já foi adotada pelos campo-grandenses. (Foto: Divulgação)

A edição da Feira da Praça da Bolívia de abril começa às 9 horas da manhã e segue durante toda a manhã de hoje, com entrada gratuita. Uma das atrações do dia é o espetáculo em comemoração aos 30 anos de um dos principais grupos de dança de Campo Grande, o Embrujos de España.

Além das comidinhas típicas da fronteira e do país hermano, a feira que já foi adotada pelos campo-grandenses, também terá aula de pilates, brincadeiras, espetáculo Areôtorare do Teatro Imaginário Maracangalha, show da banda Yesterson, e da dupla Renato Mendes & Rick Bergamo. 

A exposição fotográfica desta edição fica por conta do Instituto Brasileiro de Inovações Pró Sociedade Saudável do Centro Oeste (IBISS|CO), do projeto “Mita Porã”, que em guarani significa criança bonita. O instituto promove ações de fortalecimento do protagonismo juvenil de adolescentes e jovens das comunidades indígenas urbanas de Campo Grande desde 2010. As atividades foram feitas nas aldeias urbanas Água Bonita e Darcy Ribeiro com crianças e adolescentes indígenas.

Grupo Embrujos de España. (Foto: Vaca Azul/Divulgação)Grupo Embrujos de España. (Foto: Vaca Azul/Divulgação)

O projeto Mita Porã atendeu 30 crianças e adolescentes indígenas nas duas aldeias. Foram realizadas seis oficinas temáticas sobre políticas públicas e direitos humanos para criança e adolescentes indígenas nessas comunidades, conjuntamente foram realizadas seis oficinas de fotografia que visam promover o olhar dessas crianças e adolescentes em relação aos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Indígenas para o desenvolvimento do protagonismo infanto-juvenil, tendo como resultado a exposição fotográfica com a produção de 60 fotos registradas por eles nas atividades.

Veja a programação completa detalhada, que acontece na praça da Rua Dias Ferreira, bairro Coophafé:

9h30 às 10h30min - Studio Body Physio “aula de Pilates” ministrado pelas fisioterapeutas, Leticia Ribeiro e Hevelyn Miranda. É indicado levar tapete, uma canga ou toalha.

10h às 13h - Oficina com o Projeto Brincantes com confecção de brinquedos, conto de poesias e diversas brincadeiras.

9h30 - Apresentação da Banda Yesterson.

10h - Intervenção “Cortejo Poético – Cultura Popular”, que traz ao público uma das principais bases de pesquisa para o trabalho da Cia de Artes Rob Drown, a cultura popular brasileira. O cortejo é composto por poesias, músicas, e danças que permeiam a cultura popular do Oiapoque ao Chui, de norte a sul do Brasil, apresentando a busca e as raízes de cada Tayó que se apresenta.

10h30 - Grupo de Projeção Multicultural, traz um pouco do folclore tarijeño, também conhecida como zona de los valles, com apresentação da "Danza de las comadres".

10h35 - Renato Mendes & Rick Bergamo.

11h05 - Apresentação do "Ciranda de Contos e Cantigas". Um espetáculo do teatro popular que une contos, cantigas, poemas e brincadeiras das tradições de vários povos.

11h30 - "De Barros" , uma colagem de textos das obras "Gramática expositiva do chão", "Retrato do artista quando coisa" e "Águas do poeta Manoel de Barros", do ator e diretor sul-mato-grossense Isaac Zampieri em comemoração aos seus 30 anos de carreira, que apresenta sua nova intervenção poética.

11h55 - Grupo de Projeção Multicultural volta a subir ao palco encerrando com uma pequena mostra, “Cuadro tarijeño” com as danças rueda chapaca, tonada e cueca tarijeña.

12h10 - Apresentação do grupo Embrujos de España em comemoração aos 30 anos.

12h30 - Apresentação do espetáculo Areôtorare do Teatro Imaginário Maracangalha, que narra uma história da época do movimento separatista, conta a transição de quando parte do Mato Grosso se tornou Mato Grosso do Sul. Com as mudanças, veio o progresso que deixou alguns ricos e outros pobres.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.