ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 27º

Sabor

Quer variar na cozinha? Teste receitas terena e guarani-kaiowá

Receitas foram reunidas pelo Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da UFMS

Por Aletheya Alves | 25/02/2024 07:40
Lokro é preparado usando canjica. (Foto: Cecane/UFMS)
Lokro é preparado usando canjica. (Foto: Cecane/UFMS)

Conhecer e valorizar as culturas indígenas pode ser feito de maneiras variadas, inclusive através da gastronomia. Por isso, a sugestão de hoje é variar na cozinha e testar receitas terena e guarani-kaiowá.

Reunidas no e-book “Receitas culinárias indígenas Guarani-Kaiowá e Terena na escola”, as instruções foram produzidas pelo Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da UFMS. Mas, como é apontado pelo livro, as ideias também podem ser aplicadas em casa.

Lokro

Para 500 g de canjica amarela, use 250g de músculo bovino em cubos, 10g de sal e 15g de óleo de soja

Modo de preparo: deixe a canjica de molho por 12 horas e depois escorra a água. Coloque em uma panela de pressão o óleo, a carne e o sal e frite até a carne dourar. Adicione a canjica, acrescente dois litros de água e cozinhe na pressão de 45 minutos.

o Lokro ficará com consistência de uma sopa espessa. Se preferir, pode bater no liquidificador a canjica. É opcional o uso de temperos naturais como alho, cebola e cheiro verde.

Mbaipy precisa ir ao fogo por cerca de 20 minutos. (Foto: Cecane/UFMS)
Mbaipy precisa ir ao fogo por cerca de 20 minutos. (Foto: Cecane/UFMS)

Mbaipy

Para 250 g de milho verde in natura debulhado, use a mesma quantidade de filé de peito de frango em cubos. Serão 5 g de sal e 15 g de óleo de soja.

Modo de preparo: lave o milho verde em água corrente, triture no liquidificador e reserve. Aqueça o óleo em uma panela e frite o frango com o sal até dourar e começar a desmanchar. Adicione o milho verde triturado ao frango, refogue em fogo baixo raspando sempre o fundo da panela. Quando começar a dourar a massa do milho presa no fundo da panela, adicione cerca de 750 ml de água e raspe até soltar. Tampe e deixe cozinhar em fogo médio por cerca de 20 minutos mexendo de vez em quando.

Para a receita podem ser usados outros cortes de frango.

Furrundu leva mamão e açúcar. (Foto: Cecane/UFMS)
Furrundu leva mamão e açúcar. (Foto: Cecane/UFMS)

Furrundu 

Serão usados 300 g de mamão formosa verde, 200 g de açúcar cristal e cravo-da-índia a gosto.

Modo de preparo: Lave o mamão em água corrente, abra e retire as sementes. Rale o mamão e depois lave com ajuda de um escorredor. Coloque em uma panela com água e leve para ferver por 10 minutos ou até retirar todo o líquido branco que ele solta. Escorra a água da fervura. Adicione o mamão ralado em uma panela junto com o açúcar, água (400 ml) e o cravo, e leve ao fogo médio. Deixe cozinhar e mexa até ficar no ponto de calda (quando pega a calda com a colher, a calda pinga). Espere o doce esfriar. Sirva em temperatura ambiente ou gelado.

Beejú é feito com mandioca ralada. (Foto: Cecane/UFMS)
Beejú é feito com mandioca ralada. (Foto: Cecane/UFMS)

Beejú

Para fazer o beejú será necessário usar 570 g de mandioca sem casca e 10 g de óleo de soja.

Modo de preparo: lave a mandioca, rale e reserve. Em seguida, unte uma frigideira com óleo de soja e aqueça. Espalhe duas colheres de sopa rasas de mandioca ralada na frigideira e pressione com uma colher para ficar com espessura fina, semelhante a de uma panqueca. Leve a frigideira ao fogo médio e quando as bordas da massa começarem a levantar, vire a massa e deixe cozinhar para o outro lado.

O beejú também pode ser assado no forno.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias