ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 27º

Lado Rural

Embrapa alerta para os impactos da onda de calor no plantio da soja

Vazio sanitário para semeadura da oleaginosa em MS terminou no dia 15 de setembro; previsão é de safra menor

Por José Roberto dos Santos | 29/09/2023 11:47
Plantio direto na palha: solo coberto com palhada contribui com a redução dos impactos da amplitude térmica, protege sementes e plantas. (Foto: Gabriel Faria/Embrapa-CPAO)
Plantio direto na palha: solo coberto com palhada contribui com a redução dos impactos da amplitude térmica, protege sementes e plantas. (Foto: Gabriel Faria/Embrapa-CPAO)

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) divulgou, no começo da semana passada, um aviso de onda de calor. O alerta destaca os riscos para a saúde, mas também é importante considerar os impactos negativos que o fenômeno pode causar na atividade agrícola. O alerta destaca a elevação da temperatura a partir desde o  dia 18 de setembro. A previsão indicou possibilidade de temperatura 5ºC acima da média, podendo variar por período de três a cinco  dias.

Desde o fim do vazio sanitário em 15 de setembro, os agricultores estão aptos para o período de semeadura da soja que, no Mato Grosso do Sul, vai de 16 de setembro a 24 de dezembro. Porém, o episódio excepcional de calor em grande parte do Brasil nos últimos dias, com destaque para Mato Grosso do Sul, demanda atenção e cuidados redobrados para a implantação das lavouras.

Nesta atual safra de verão, a previsão éde cultivo de 4,2 milhões de hectares, 6,5% em relação ao ciclo anterior. Entretanto, a Aprosoja-MS (Associação dos Produtores de Soja e Milho de MS), prevê uma produção de 13,8 milhões de toneladas, redução de 7,92% e produtividade de 54 sacas por hectare, 13,52% a menos do que na safra anterior.

Esperar para semear

Em nota técnica emitida pela Embrapa-Agropecuária Oeste, de Dourados, MS, o pesquisador Rodrigo Arroyo Garcia, da Embrapa Agropecuária Oeste, enfatiza que vale a pena esperar um pouco mais para semear, assim o produtor terá mais segurança para garantir um estande de plantas adequado e uniforme. E complementa que “o calor excessivo no solo pode ter um efeito negativo no desenvolvimento em sementes de soja recém-semeadas, pois temperaturas extremas do solo podem causar danos às sementes, impedindo-as de germinar ou se desenvolver adequadamente”.

“A recomendação mais adequada para o momento é prudência. Dentro do possível, o ideal seria adiar a semeadura para o fim da onda de calor. Do contrário, opte por reduzir a área, escalonando o processo de semeadura”, informa Rodrigo.

Diante desta situação, Rodrigo chama atenção ainda para a relevância do plantio direto, com destaque à cobertura com palhada e explica “além dos inúmeros benefícios que os produtores já conhecem, o solo coberto com palhada representa um grande aliado do produtor, pois diante de um cenário climático desfavorável contribui com a redução dos impactos da amplitude térmica, mantendo as sementes e a plântula de soja mais protegidas”.

O pesquisador Éder Comunello, da Embrapa Agropecuária Oeste, destaca que a temperatura do solo costuma ser bem mais intensa do que a do ar porque o solo absorve o calor do sol e o retém por mais tempo, especialmente, nos horários mais quentes do dia e informa que “temperaturas acima de 40ºC podem facilmente superar os 50°C no solo”.

El Niño vem aí

Éder informa ainda que a publicação do valor da anomalia de temperatura do último trimestre (junho-julho-agosto) confirmou que a próxima safra de verão será sob os efeitos do El Niño e acrescenta “desde 2001, esta será a oitava safra de verão cultivada sob efeitos de El Niño. O conceito de El Niño foi definido pela Organização Meteorológica Mundial, que estabelece que são necessários três trimestres consecutivos com anomalia acima de 0,5 °C para declarar oficialmente El Niño”.

Já em relação à onda de calor, Eder explica que esse fenômeno é comum na Região Centro-Oeste, mas que costuma ser intensificado sob condições de El Niño. “O que é incomum são as altas temperaturas previstas para os próximos dias’.

Guia Clima 

O Guia Clima é um sistema de monitoramento agroclimático que disponibiliza, em tempo real, dados sobre as condições meteorológicas (temperatura, umidade do ar, etc.), informações (médias, normais, etc.) e alertas (baixa umidade do ar, ventos fortes, geadas, etc.), que podem ser usados para auxiliar na tomada de decisões.

Atualmente,  o Guia Clima opera com quatro estações meteorológicas situadas em Dourados (2), Rio Brilhante e Ivinhema. No entanto, há previsão de instalação de novas estações em outros locais de Mato Grosso do Sul.

Clique AQUI e acesse o serviço

Infográfico mostra que área plantada neste atual ciclo é maior, mas produção equipara-se à safra 2020-2021. (Fonte: Aprosoja-MS)  
Infográfico mostra que área plantada neste atual ciclo é maior, mas produção equipara-se à safra 2020-2021. (Fonte: Aprosoja-MS)

* Texto editado às 11h56 para acréscimo de informações.

Nos siga no Google Notícias