ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 27º

Lado Rural

Genética e manejo do bezerro podem garantir até duas arrobas a mais na desmama

Um dos maiores desafios do manejo de desmama é garantir a imunidade dos bezerros

José Roberto dos Santos | 04/05/2023 10:40
Vacada com bezerros ao  pé em propriedade rural brasileira; momento do nascimento diz muito sobre o peso na desmama. (Foto: Divulgação Biogénesis)
Vacada com bezerros ao  pé em propriedade rural brasileira; momento do nascimento diz muito sobre o peso na desmama. (Foto: Divulgação Biogénesis)

O período de desmama dos bezerros é um dos momentos que mais exigem cuidados na produção de gado de corte. Um manejo correto, suplementação mineral e vitamínica estratégica e planejamento sanitário, quando unidos aos investimentos na genética desses animais, podem gerar uma diferença de até duas arrobas no seu potencial de desempenho.

Quem explica é o médico-veterinário e gerente de Negócios Pecuária de Corte da Rehagro, Paulo Eugênio de Carvalho. “Considerando um mesmo rebanho, em que, estejam reunidos touros de boiada em um grupo e em um segundo utilizando inseminação com genética diferenciada, o resultado obtido é o ganho de até duas arrobas, certamente potencializado pela genética”.

MS é referência em cria

Mato Grosso do Sul é uma referência nacional em criação de bezerros, tanto qualitativa como quantitativamente, com destaque  para a região do Pantanal. O mercado tem no Estado uma referência de preços para o resto do País, utilizado inclusive como padrão pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

Um aspecto relacionado à busca pelos melhores desempenhos dos bezerros é o momento do nascimento. Essa diferença pode ser observada entre um bezerro que nasceu no período chamado de “cedo” para outro nascido no “tarde”. “Não é incomum desmamar um bezerro que nasceu no ‘cedo’ com 240kg e ter um animal nascido no ‘tarde’ desmamando com 180kg”, detalha Carvalho.

Ele reforça que o controle preventivo também oferece mais condições para se atingir o potencial produtivo do gado, sem intercorrências sanitárias no período de desmame. Uma correta cura do umbigo, o bom manejo de maternidade e as avaliações para saber se o bezerro mamou o colostro na hora certa também são vitais neste período.

“Depois da maternidade, os primeiros desafios sanitários são as diarreias, controle de carrapato e pneumonia. É primordial ter eficiência na identificação desses sintomas, com diagnóstico rápido e sem deixar que esse bezerro entre em fase crônica. O ideal é começar o tratamento rápido para que o animal volte a ganhar peso novamente”, comenta o gerente de Negócios Pecuária de Corte da Rehagro, uma instituição especializada  em ensino de gestão do agronegócio.

Imunidade e eficiência

Por exigir muito das partes física e comportamental do animal, a desmama pode causar estresse no bezerro com o afastamento da vaca, o que pode afetar a imunidade e resultar em um quadro de desnutrição. Para evitar esse cenário, a alimentação correta e as suplementações mineral e vitamínica são imprescindíveis.

“É importante utilizar recursos para minimizar esse estresse, como a desmama lado a lado, com os animais divididos por cercas, acostumando os bezerros no final do período de aleitamento a comer a ração. Desta forma, na hora em que os animais forem apartados, eles terão ração disponível para continuar consumindo o produto com os macro e micro minerais necessários”, pontua Carvalho.

Ele relata que a vaca também sente o estresse quando é afastada do bezerro, o que pode refletir em uma próxima gestação. “No caso da vaca, é um pouco mais difícil de ser identificado. Geralmente, ela acaba perdendo escore corporal se retornar para perto bezerro. O ideal, é que a vaca já esteja encaminhada para uma nova gestação, pois o período de recuperação é muito pequeno e se ela perde condição corporal no momento de estresse, acaba se prejudicando porque vai parir mais magra, o que é muito ruim”, analisa o também médico-veterinário.

Carvalho aponta que o que tem também garantido a eficiência dos animais, minimizado o estresse é a realização do desmame quando os bezerros estão pesando metade do peso da vaca. Nesse contexto, existem vacas com pesagens menores que apresentam uma alta habilidade materna na comparação com fêmeas mais pesadas.

“Tenho visto no mercado vacas de tamanho menores com habilidade materna alta que conseguem desmamar bezerros pesados, passando dos 50% do peso dessa fêmea. Essas vacas apresentam boa produção de leite e estão parindo no momento certo, com eficiência”, acrescenta.

Nos siga no Google Notícias