ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 32º

Meio Ambiente

Dois homens são presos por pescar com arpão no Rio Formoso, em Bonito

Por Helton Verão | 29/09/2013 12:51
Materiais proibidos, peixe fora da medida, equipamentos de mergulho foram apreendidos
Materiais proibidos, peixe fora da medida, equipamentos de mergulho foram apreendidos

A Polícia Militar Ambiental de Bonito, Miranda, Campo Grande, Jardim, Aquidauana e do Grupamento do distrito de Águas do Miranda, realizaram nos últimos três dias uma operação na região de Bonito e Jardim, principalmente no rio Miranda para combater e prevenir a pesca predatória.

Durante aa ação,  iniciada no dia 25 e encerrada hoje às 8 horas, foram seis autuações ambientais. No primeiro dia, o proprietário de um pesqueiro foi autuado por degradar matas ciliares do rio Miranda e dois pescadores por pescar sem licença.

Mais dois foram autuados no dia 27 à noite, por praticar pesca subaquática com arpões, em local onde a pesca é proibida. Os pescadores, residentes em Bonito, foram surpreendidos quando estavam pescando no rio Formoso, onde a pesca de qualquer natureza é proibida e ainda haviam capturado peixes fora da medida, bem como não possuíam licença para a pesca subaquática. Nesse rio só se permite a pesca científica e devidamente autorizada pelo órgão ambiental.

Com os pescadores foram apreendidos duas máscaras de mergulho, dois arpões e um veículo VW saveiro, além de 30 kg de pescado das espécies dourado, curimbatá e piavuçu, sendo vários exemplares em tamanhos inferiores ao permitido pela legislação. Cada pescador foi multado em R$ 1.7 mil. Eles também foram presos e autuados em flagrante na delegacia de Polícia Civil de Bonito e saíram depois de pagar fiança e responderão em liberdade por crime ambiental de pesca predatória. Eles poderão pegar pena de um a três anos de detenção.

Em um rancho pesqueiro, ontem (28), uma pessoa foi autuada por armazenar pescado fora da medida permitida. Com ela foram apreendidos 35 kg de pescado. O autuado recebeu multa de R$ 1.5 mil. Ele também responderá por crime ambiental e poderá pegar pena de um a três anos de detenção.

As equipes ainda apreenderam duas tarrafas, três redes de pesca, 20 espinhéis, 31 João-bobos (boias) e 387 anzóis de galho, petrechos proibidos que estavam armados no rio.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário